Exposição Permanente: Museu do Tesouro Real

Exposição Permanente: Museu do Tesouro Real

As obras de valorização do Palácio Nacional da Ajuda, para acolher a Exposição Permanente do Tesouro Real (futuro Museu do Tesouro Real), já começaram.

O projeto, da autoria do Arqtº João Carlos dos Santos, contempla o fecho da ala Poente do Palácio com uma implantação que vai respeitar os limites atuais da massa edificada do palácio. A nova fachada Poente, com desenho e expressão contemporânea, procura restituir a unidade de leitura do conjunto. É utilizada uma composição formal, com referências aos alçados pré existentes, onde se enfatizam as linhas verticais e horizontais, acentuando a marcação da leitura dos estágios das fachadas existentes, que se materializam em diferentes planos das lâminas verticais de sombreamento dos planos envidraçados.

São ainda utilizados dois corpos laterais mais elevados, com perfil e altura idêntica à dos torreões Norte e Sul da fachada Este, essenciais para o equilíbrio do conjunto. A aplicação de uma estrutura com lâminas de sombreamento (pele) permite a datação clara da intervenção e assume um carácter efémero e reversível da construção.

Nesta nova ala do Palácio serão criadas em simultâneo, condições para apresentação ao público de umas das coleções mais emblemáticas e de excecional valor patrimonial da história nacional: a coleção de Joalharia e Ourivesaria do Palácio Nacional da Ajuda.

Numa área de cerca de 800 m2 serão expostas mais de 720 obras de joalharia e ourivesaria de valor único, acompanhadas por suportes de comunicação e multimédia de última geração.
O futuro Museu do Tesouro Real decorre de uma parceria entre o Ministério da Cultura/DGPC e a Associação do Turismo de Lisboa, contando com o apoio do Turismo de Portugal e da Câmara Municipal de Lisboa.

Este artigo foi publicado na edição 324 da Ambitur.