Fátima Hotels Group prevê atingir “um milhão de noites” em 2019

Fátima Hotels Group prevê atingir “um milhão de noites” em 2019

O Fátima Hotels Group vai fechar o ano com resultados bastante positivos. Quem o diz é o CEO do Grupo, Alexandre Marto Pereira, à Ambitur.pt, à margem do 31.º Congresso Nacional da Associação de Hotelaria de Portugal (AHP) que terminou na passada sexta-feira, em Viana do Castelo. À exceção de 2017, o responsável afirma que “2019 vai ser o melhor de sempre”, estando previsto o Grupo atingir “um milhão de noites. Um crescimento enorme”, descreve o empresário. Estes números devem-se sobretudo à “presença de mercados novos”, nomeadamente do asiático e americano, traduzindo-se num “tipo de hóspedes mais diversificado” com “um terço da Ásia, um terço das Américas e um terço da Europa”, exemplifica. Com o portefólio de clientes cada vez mais diversificado, o responsável acredita que isto será uma “vantagem muito forte” em caso de uma eventual “queda de mercado, nomeadamente do interno”.

“O excesso de oferta não acompanhado pela procura dos últimos anos” é talvez um dos desafios mais evidentes para Alexandre Marto Pereira, que realça a “cautela” do grupo neste campo. “O futuro não é o aparecimento de mais camas mas sim a requalificação”, algo que já está a ser feito. Exemplo disso foi o Hotel Estrela de Fátima que “reabriu este ano, após estar encerrado sete meses para requalificação”, acrescenta. O responsável considera que as “requalificações” surgem no sentido de “captação de segmentos de valor acrescentado mais elevado” vindos de origens mais longínquas que “pagam mais e são menos sensíveis ao preço”, o que é uma “mais-valia super interessante” para o grupo e para o país.

Cristiana Macedo, no 31º Congresso AHP, em Viana do Castelo