Fundação AIP defende “equilíbrio inteligente” entre “saúde pública” e “crescimento económico”

Fundação AIP defende “equilíbrio inteligente” entre “saúde pública” e “crescimento económico”

Categoria Advisor, Associativismo

O Centro de Congressos de Lisboa (CCL) já abriu portas para a edição 2020 do Portugal Smart Cities Summit. Este é o primeiro evento em formato híbrido que a Fundação AIP, em parceria com a NOS, retoma após o confinamento provocado pela pandemia Covid-19.

Na sessão de abertura, Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP, sublinhou a importância de existir um “equilíbrio inteligente e responsável” entre os “imperativos de saúde pública” e o “crescimento da economia. Muito contribuiu a aprendizagem que foi feita desde a fase do confinamento até à fase de abertura gradual”, afirma o responsável, que não tem dúvidas que o “cumprimento rigoroso das regras e orientações das autoridade sanitárias” vão ser cruciais no que diz respeito aos riscos da Covid-19. 

“A Fundação AIP assegura que este e futuros eventos têm um plano de contingência operacional que integra todos os aspetos críticos relacionados com a Covid-19”, expressa o responsável, dando como exemplo a “monitorização de sintomas”, o “distanciamento físico”, a “proteção individual”, o “reforço da higienização e desinfeção”, a “avaliação do risco” e “resposta contínua”. E “assegurar estes requisitos tem de ser um compromisso de responsabilidade da nossa organização”, expressa o responsável, reiterando que, “por tudo o que hoje se sabe, esta terá que ser uma dimensão ativa da estratégia das organizações”.

Depois de sete meses, o Portugal Smart Cities Summit é o primeiro evento de arranque à retoma: “É reconfortante porque, na essência desta iniciativa, integram-se um conjunto de áreas de atividade, regiões, setores e clusters que estão cada vez mais presentes nas dinâmicas atuais e, seguramente, futuras das economias e sociedades”.

Até ao dia 22 de setembro, o Portugal Smart Cities 2020 vai decorrer no Centro de Congressos de Lisboa. Todos os interessados podem inscrever-se e assistir online à programação e acompanhar/participar ativamente na plataforma digital. No espaço físico, todas as regras da Direção-Geral de Saúde estão a ser cumpridas, permitindo entrada limitada de visitantes, sendo o acesso atribuído por ordem de inscrição. A participação é gratuita mediante inscrição prévia através do site do evento em: www.portugalsmartcities.fil.pt.

Cristiana Macedo