Grupo Accor atento a oportunidades no Porto, Algarve, Açores e Funchal

Grupo Accor atento a oportunidades no Porto, Algarve, Açores e Funchal

Categoria Alojamento, Business

O grupo Accor pretende, nos próximos anos, desenvolver em Portugal três das suas marcas: ibis budget, ibis styles e Mercure. Segundo Jesús Novillo, Iberia Development Manager da Accor Hotels, que falava, ontem, à margem de uma conferência de imprensa na sua mais nova unidade no nosso país, o Mercure Lisboa Almada, todas as marcas têm potencial para ser desenvolvidas em Portugal, no entanto, a prioridade do grupo para este mercado será, como já havia sido anunciado, a implementação das marcas ibis budget e ibis styles em Lisboa. “Quando dizemos o que queremos fazer é porque já estamos a trabalhar nisso”, afirmou Jesús Novillo, acrescentando, no entanto que “não há ainda uma localização definida” para a abertura de nenhum destes hotéis. Segundo o responsável, os objectivos do grupo passam por “construir um ibis budget” em Lisboa, mas “não no centro da cidade” e encontrar um “edifício de um hotel, no centro da capital, com, no mínimo, 70 quartos” para a implementação da marca ibis styles.
Depois de Lisboa, o grupo pretende investir também no Porto. “Estamos a trabalhar também no segmento lazer, e aqui a olhar para os Açores, o Funchal e o Algarve”, acrescentou. O aumento da presença da marca Mercure para hotéis já existentes é outra das prioridades do grupo para Portugal.

Segundo Jesús Novillo, é objectivo ainda da Accor Hotels desenvolver os modelos de franquia e gestão em todo o mundo. Em Portugal, em 2012, 7% das unidades do grupo funcionavam em regime de franquia, um número que subiu, em 2015, para 15%. Este ano, o grupo introduziu o modelo de gestão, que já representa 3,1% do seu universo em Portugal.

A longo prazo, o objectivo é ultrapassar a oferta disponibilizada pelos grupos Pestana (5767 quartos) e Vila Galé (3828 quartos) em Portugal. A ibis disponibiliza, actualmente, 30 unidades e 3113 quartos.

A aposta no digital é outra das prioridades do grupo, uma vez que 35% das suas reservas já provêem do online. “Estamos a trabalhar numa aplicação que abranja todas as marcas de forma a facilitar as reservas dos clientes” afirmou Nuria Vasquez, responsável do departamento de desenvolvimento ibérico do grupo, acrescentando que, nos próximos quatro anos a Accor Hotels irá investir no seu Plano Digital 220 milhões de euros.

Raquel Pedrosa Loureiro