IATA: companhias aéreas enfrentam prejuízo de 39 mil milhões de dólares no 2º trimestre

IATA: companhias aéreas enfrentam prejuízo de 39 mil milhões de dólares no 2º trimestre

A IATA publicou uma nova análise que revela que as companhias aéreas poderão gastar 61 mil milhões de dólares das suas reservas de tesouraria durante o segundo trimestre que termina a 30 de junho de 2020, contabilizando um prejuízo líquido trimestral de 39 mil milhões de dólares. Esta análise baseia-se na avaliação de impacto que a IATA divulgou na semana passada, que prevê quedas globais anuais de 38% na procura e das receitas de passageiro em 252 mil milhões de dólares, face a 2019. A descida da procura seria a mais profunda no segundo trimestre, de 71%.

O impacto será forte, devido a vários fatores:
– As receitas deverão diminuir 68%. O que é menos do que a descida estimada de 71% devido à continuação das operações de mercadorias.
– Os custos variáveis deverão cair bruscamente – em cerca de 70% no segundo trimestre – em grande parte em linha com a redução prevista de 65% na capacidade do segundo trimestre.
– Os custos fixos e semi-fixos totalizam quase metade dos custos de uma companhia aérea. A IATA prevê que os custos semi-fixos (incluindo custos com tripulação) sejam reduzidos em um terço. As companhias estão a cortar naquilo que podem, tentando preservar o pessoal e os negócios para uma futura recuperação.