IATA: mês de janeiro aprofunda quebras na procura de passageiros

IATA: mês de janeiro aprofunda quebras na procura de passageiros

A IATA anunciou hoje que o tráfego de passageiros em janeiro de 2021 caiu tanto em relação aos níveis pré-covid (janeiro 2019) como ao mês anterior (dezembro 2020).

A procura total em janeiro (RPKs) desceu 72% relativamente a janeiro de 2019, pior do que a queda homóloga de 69,7% registada em dezembro de 2020.

A procura doméstica total diminuiu 47,4% face aos níveis pré-crise (janeiro 2019). Em dezembro, tinha descido 42,9% em relação ao ano anterior. Esta descida resulta dos maiores controlos de viagens domésticas na China no período de férias do Novo Ano Lunar.

A procura internacional de passageiros em janeiro caiu 85,6% face a janeiro de 2019, uma quebra ainda maior quando comparada com a descida homóloga de 85,3% observada em dezembro.

“2021 está a começar pior do que 2020 terminou e isso diz muito. Mesmo à medida que os programas de vacinação vão ganhando ritmo, as novas variantes de Covid estão a levar os governos a aumentar as restrições de viagens. A incerteza em torno de quanto tempo estas restrições vão durar também tem um impacto nas futuraas viagens. As reseras futuras em fevereiro deste ano para o verão do Hemisfério Norte estiveram 78% abaixo dos níveis de fevereiro de 2019”, afirma Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.

As companhias de aviação europeias tiveram uma descida de 83,2% no tráfego em janeiro face a igual mês de 2019, piorando de um declínio de 82,6% em dezembro quando comparado com igual mês de 2019. A capacidade caiu 73,6% e o load factor 29,2 pontos percentuais para 51,4%.