IATA pede apoio para a criação de um Certificado de Vacinação Europeu

IATA pede apoio para a criação de um Certificado de Vacinação Europeu

Categoria Business, Transportes

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) exortou todos os ramos da União Europeia (UE) a apoiar uma iniciativa do primeiro ministro grego Kyriakos Mitsotakis para chegar a acordo sobre um certificado digital europeu de vacinação Covid-19 que permitiria aos vacinados viajarem livremente na Europa sem testes. 

Numa carta aberta à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e com cópia aos principais decisores políticos da UE, o diretor geral e CEO da IATA, Alexandre de Juniac, apelou aos Estados membros para coordenarem uma política que veria a Europa ganhar com segurança os benefícios económicos e sociais da renovação da liberdade de movimento, a começar pelos vacinados.

“A iniciativa do primeiro-ministro Mitsotakis deve ser urgentemente adotada pela Comissão Europeia e por todos os Estados membros. A vacinação é fundamental para reabrir fronteiras com segurança e estimular a recuperação económica. Um certificado de vacinação pan-europeu, mutuamente reconhecido, seria um passo importante para dar aos governos a confiança para abrir com segurança as suas fronteiras e aos passageiros a confiança para voar sem a barreira da quarentena”, disse de Juniac.

A proposta grega é de um certificado de vacinação harmonizado que poderia contribuir “para o restabelecimento da mobilidade à escala global, que é a base para o restabelecimento da atividade económica aos níveis anteriores à crise”. O requisito de um reinício harmonizado da aviação segura é mais urgente do que nunca, face aos novos bloqueios e restrições de viagens em todo o mundo.

À medida que o vírus acaba fica sob controle, as capacidades de teste melhoram e a população vacinada cresce, Juniac enfatiza a necessidade dos governos se prepararem para restabelecer a liberdade de movimento com um planeamento bem coordenado. Esse planeamento deve usar a combinação mais eficaz de vacinação e capacidade de testagem. 

“Estamos em dias muito sombrios com esta pandemia. Mas as duas medidas tomadas combinadas com programas de vacinação acelerados devem dar-nos esperança de que podemos restabelecer com segurança a liberdade de movimento. Isso vai salvar empregos, aliviar a angústia mental, reconectar famílias e reavivar a economia. Para fazer isso com segurança e eficiência, o planeamento é fundamental. A proposta do primeiro ministro Mitsotakis para certificados de vacina será um facilitador chave. O progresso na eliminação ou redução das quarentenas pode ser feito com protocolos de teste. Mas o que precisamos agora é que os governos comecem a trabalhar juntos com muito mais eficácia. Ações governamentais unilaterais foram capazes de desmantelar rapidamente a conetividade global. A reconstrução vai precisar de coordenação”, aponta Juniac.

Os Chefes de Estado da UE reúnem-se na quinta-feira, 21 de janeiro, e a proposta do primeiro ministro Mitsotakis estará na ordem do dia. Espera-se que eles instruam a Comissão a tomar medidas e a desenvolver uma certificação comum.