IATA: Procura dos passageiros permanece forte mas a tendência abrandou

IATA: Procura dos passageiros permanece forte mas a tendência abrandou

De acordo com os mais recentes dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) para o mês de maio, verifica-se a procura de passageiros aumentou 4,5% quando comparada com igual mês de 2018. Um resultado em linha com o crescimento de tráfego de abril de 4,4%. No entanto, permanece abaixo do ritmo de crescimento médio dos últimos 20 anos de cefrca de 5,5%. A capacidade subiu 2,7% e o load factor 1,4 pontos percentuais para 81,5%, ultrapassando o recorde do ano passado de 80,1%.

“O crescimento da procura dos passageiros abrandou comparado com os últimos dois anos. Está em linha com o mercado mundial recessivo, tensões comerciais crescentes e um enfraquecimento da confiança empresarial. Neste ambiente desafiante, as companhias aéreas estão a gerir a capacidade cuidadosamente para otimizar a eficiência”, refere Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.

Mercados internacionais de passageiros
A procura do tráfego internacional aumentou 4,3% em maio em termos hómologos, descendo do aumento de 5,1% registado em abril. Todas as regiões registaram crescimento, liderado pelas transportadoras da América Latina. A capacidade total subiu 2,1% e o load factor disparou 1,7 pontos percentuais para 80,4%.

A procura em maior pelas companhias aéreas europeias cresceu 5,4% face a maio de 2018, um declínio do crescimento homólogo de 7,7% registado em abril. A capacidade subiu 4,6% e o load factor 0,7 pontos percentuais para 84,2%, o mais elevado entre as várias regiões. Mas a maioria do crescimento da região ocorreu no primeiro semestre de 2018, com a procura a deslocar-se desde então.

As companhias aéreas da região da Ásia Pacífico assistiram a um aumento de 4% no tráfego de maio comparado com igual mês do ano passado, uma melhoria face ao aumento de 2,9% de abril. A capacidade subiu 3% e o load factor 0,8 pontos percentuais para 78,6%.

As transportadoras do Médio Oriente viram o crescimento da procura a abrandar para 0,8% face a igual período de 2018, do crescimento anual de 3,3% registado em abril.

Já as companhias norte-americanas viram uma subida de 4,8% no tráfego de maio face a maio do ano passado, um abrandamento do crescimento anual de 5,6% de abril. A capacidade subiu 2,7% e o load factor 1,7 pontos percentuais para 83,6%.

As companhias de aviação da América Latina tiveram um forte aumento de 6,7% em maio. A capacidade subiu 4% e o load factor 2,1 pontos percentuais para 84%.

Por fim, as companhias africanas registaram um aumento de 2,1% em maio face ao período homólogo. A capacidade disparou 0,1% e o load factor 1,3 pontos percentuais para 67%.

Mercados domésticos de passageiros
O tráfego doméstico aumentou 4,8% em maio face a maio de 2018, bem acima do aumento homólogo de 3% em abril. A Rússia foi o único mercado a ter um crescimento de dois dígitos na procura. A capacidade doméstica aumentou 3,8% e o load factor subiu 0,8 pontos percentuais para 83,4%.