INE: Dormidas de não residentes ultrapassam níveis de 2019 na Madeira, Norte e Açores em junho

INE: Dormidas de não residentes ultrapassam níveis de 2019 na Madeira, Norte e Açores em junho

O setor do alojamento turístico registou 2,7 milhões de hóspedes e 7,2 milhões de dormidas em junho de 2022, correspondendo a aumentos de 97,3% e 110,2%, respetivamente (+162,3% e +221,7% em maio, pela mesma ordem). Face a junho de 2019, registaram-se diminuições de 2,6% e 0,4%, respetivamente.

Em junho, o mercado interno contribuiu com 2,3 milhões de dormidas (+16,5%) e os mercados externos totalizaram 4,8 milhões (+241,8%). Face a junho de 2019, o mercado interno cresceu 7,0% e os mercados externos diminuíram 3,5%.

No primeiro semestre de 2022, as dormidas aumentaram 252,4% (+84,1% nos residentes e +529,5% nos não
residentes). Comparando com o mesmo período de 2019, as dormidas decresceram 7,0%, como consequência da diminuição das dormidas de não residentes (-11,9%), dado que as de residentes cresceram 5,2%.

No segundo trimestre de 2022, as dormidas aumentaram 209,9% (-0,2% face ao 2ºT 2019). As dormidas de
residentes aumentaram 55,6% (+9,9% em relação ao 2ºT 2019) e as de não residentes cresceram 450,1% (-4,1% comparando com o 2ºT 2019).

Em junho, 15,7% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (28,4% em junho de 2021).

Hóspedes e dormidas com ligeiras diminuições face a junho de 2019

Em junho de 2022, o setor do alojamento turístico registou 2,7 milhões de hóspedes e 7,2 milhões de dormidas,
correspondendo a crescimentos de 97,3% e 110,2%, respetivamente (+162,3% e +221,7% em maio, pela mesma
ordem). Face a junho de 2019, os hóspedes diminuíram 2,6% e as dormidas recuaram 0,4%.

As dormidas aumentaram 115,2% (-0,5% face a junho de 2019) na hotelaria (82,4% do total), 112,0% (-5,1%,
comparando com junho de 2019) nos estabelecimentos de alojamento local (13,8% do total) e 37,4% (+26,4%
face a junho de 2019) no turismo no espaço rural e de habitação (quota de 3,8%).

Dormidas de não residentes em recuperação em junho, mas ainda abaixo dos níveis de 2019

Em junho, o mercado interno contribuiu com 2,3 milhões de dormidas, tendo aumentado 16,5%. Os mercados
externos predominaram (peso de 67,7%) e totalizaram 4,8 milhões de dormidas (+241,8%).

Comparando com junho de 2019, as dormidas de residentes aumentaram 7,0%, mas as de não residentes diminuíram 3,5%.

Em junho, 15,7% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (28,4% em junho de 2021).

No primeiro semestre de 2022 registou-se um aumento de 252,4% das dormidas totais, +84,1% nos residentes e +529,5% nos não residentes. Comparando com o mesmo período de 2019, as dormidas decresceram 7,0%, como consequência da diminuição das dormidas de não residentes (-11,9%), dado que as de residentes aumentaram 5,2%.

No segundo trimestre de 2022, as dormidas cresceram 209,9% (-0,2% face ao 2ºT 2019). As dormidas de residentes aumentaram 55,6% (+9,9% em relação ao 2ºT 2019) e as de não residentes cresceram 450,1% (-4,1% comparando com o 2ºT 2019).

Crescimento do mercado norte americano destacou-se

A totalidade dos 17 principais mercados emissores registou aumentos expressivos em junho, tendo representado 88,1% das dormidas de não residentes nos estabelecimentos de alojamento turístico neste mês.

O mercado britânico (22,4% do total das dormidas de não residentes em junho) diminuiu 0,6% relativamente a
junho de 2019.

Face a junho de 2019, as dormidas de hóspedes alemães (12,0% do total) diminuíram 4,7%.

O mercado norte americano (quota de 8,5%) destacou-se com um crescimento de 27,3% em junho, quando
comparado com o mesmo mês de 2019.

Comparando com junho de 2019, evidenciaram-se também os crescimentos registados pelos mercados checo
(+61,6%), dinamarquês (+50,8%) e romeno (+30,9%). As maiores diminuições foram registadas nos mercados
brasileiro (-20,8%) e francês (-13,1%).

Aumento expressivo das dormidas em todas as regiões, face a junho de 2021

Em junho, registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões. O Algarve concentrou 31,2% das dormidas, seguindo-se a AM Lisboa (24,5%), o Norte (15,5%) e a RA Madeira (11,7%).

Comparando com junho de 2019, registaram-se aumentos na RA Madeira (+16,8%), Norte (+6,2%), RA Açores
(+6,1%) e AM Lisboa (+0,1%). O maior decréscimo foi observado no Algarve (-8,1%). Relativamente às dormidas
de residentes, registaram-se aumentos em todas as regiões, com exceção do Algarve (-5,3%), destacando-se a RA Madeira (+63,5%), Norte (+13,1), RA Açores (+12,6%) e Centro (+10,0%). As dormidas de não residentes
aumentaram na RA Madeira (+8,4%), Norte (+2,1%) e RA Açores (+1,9%), tendo as maiores diminuições sido
observadas no Centro (-19,8%) e Algarve (-9,0%).

Estada média aumentou

Em junho, a estada média nos estabelecimentos de alojamento turístico (2,68 noites) aumentou 6,6% (+22,6%
em maio). A estada média dos residentes (2,13 noites) reduziu 2,8% e a dos não residentes (3,06 noites)
diminuiu 3,7%.

Na RA Madeira e no Algarve, as estadas médias atingiram os valores mais elevados: 4,71 e 3,95 noites,
respetivamente.