INE: viagens turísticas dos residentes aumentaram 4,4% no primeiro trimestre de 2019

INE: viagens turísticas dos residentes aumentaram 4,4% no primeiro trimestre de 2019

O Instituto Nacional de Estatística (INE) acaba de anunciar que no 1.º trimestre de 2019, os residentes em Portugal realizaram “4,7 milhões de viagens, o que correspondeu a um crescimento de 4,4%”, (+6,3% no 4.ºT 2018). As viagens turísticas com destino ao estrangeiro “representaram 12,3% do total e apresentaram um crescimento superior às deslocações nacionais” (+22,4% face a +2,3%; +30,8% e +3,6% no 4.ºT 2018)”.

Segundo o INE, a “visita a familiares ou amigos” manteve-se como principal motivação para viajar no 1.º trimestre de 2019 (2,1 milhões de viagens, -7,0%), apesar da perda de representatividade (44,3% do total, face a 49,7% no trimestre homólogo). O motivo “lazer, recreio ou férias” correspondeu a 1,8 milhões de viagens (38,2% do total, +3,9 pontos percentuais), revelando um crescimento de 16,2%. Já as viagens por motivos “profissionais ou de negócios” (626,4 mil) destacaram-se com um aumento de 26,8% e aumentaram o seu peso relativo em 2,4 pontos percentuais (representando 13,4% do total).

Os “hotéis e similares” concentraram 24,9% das dormidas resultantes das viagens turísticas no 1.º trimestre de 2019, reforçando a sua representatividade (+3,7 pontos percentuais). O “alojamento particular gratuito” manteve-se como a principal opção de alojamento (68,4% das dormidas), apesar da redução do seu peso no total (-2,0 pontos percentuais).

Viagens ao estrangeiro com aumento relevante

No 1.º trimestre de 2019, o INE indica que 87,7% das deslocações corresponderam a viagens em território nacional (4,1 milhões), revelando um aumento de 2,3%. As viagens turísticas com destino ao estrangeiro (12,3% do total) totalizaram 575,8 mil (+22,4%).

O motivo “visita a familiares ou amigos” manteve-se como principal justificação nas viagens nacionais (peso de 47,7%), mas com redução de 5,6 pontos percentuais na sua representatividade. Pelo contrário, verificou-se um aumento de expressão das viagens por “lazer, recreio ou férias” (+4,9 pontos percentuais; 37,3% do total).

Nas viagens realizadas ao estrangeiro, o “lazer, recreio ou férias” correspondeu a 44,9% do total, com perda de 6,2 p.p. no seu peso, tendo-se verificado um crescimento na importância das viagens por motivos “profissionais ou de negócios” (+5,5 pontos percentuais; peso de 33,4%).

Recurso à internet na organização de viagens reforça expressão em ambos os destinos

A proporção de viagens com marcação prévia de serviços foi 31,2% no 1.º trimestre de 2019 (+3,6 pontos percentuais), proporção que atingiu 94,0% (+3,0 pontos percentuais) no caso de deslocações com destino ao estrangeiro. Segundo os dados do INE, nas viagens em território nacional, a marcação antecipada de serviços ocorreu em 22,4% dos casos (+2,3 pontos percentuais). Verificou-se que a internet foi utilizada no processo de organização de 20,1% das deslocações (+4,0 pontos percentuais), nomeadamente em 65,2% (+3,4 pontos percentuais) das viagens para o estrangeiro.

Redução no número médio de noites por turista

No 1.º trimestre de 2019, registou-se uma “média de 3,91 dormidas nas viagens de cada turista residente, evidenciando um decréscimo de 2,5% (4,01 no 1.ºT 2018)”, sob influência do desfasamento do calendário do período da Páscoa.

Proporção de turistas no trimestre com ligeiro crescimento homólogo

A proporção de residentes que “realizou pelo menos uma deslocação turística no 1.º trimestre de 2019 foi 19,2%, refletindo um aumento de 0,6 pontos percentuais”. Neste trimestre, o INE refere que “o mês de janeiro registou o maior crescimento homólogo em termos de peso de residentes que viajaram (+2,2 pontos percentuais)”.