Interior recebe 1,8 milhões de euros para valorização turística

Interior recebe 1,8 milhões de euros para valorização turística

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, deslocou-se ontem aos municípios da Covilhã, Fundão e Idanha-a-Nova para a celebração de cinco contratos no âmbito do programa Valorizar, com um financiamento global de cerca de 1,8 milhões de euros. Os contratos foram assinados pelo Turismo de Portugal e os municípios da Covilhã, Idanha-a-Nova, a Associação das Aldeias Históricas e o Eco Glamping da Gardunha.

No município da Covilhã foi aprovado um incentivo de 180 mil euros, ao abrigo da Linha de Apoio ao Turismo Acessível, para um projeto que visa melhorar as condições de acessibilidade física e comunicacional do Museu de Arte e Cultura. Além da adaptação das infraestruturas existentes, integra novas tecnologias para uma experiência multissensorial, a adaptação para braille dos guias do Museu de Arte Sacra e do Museu de Arte e Cultura, a criação de uma aplicação, “Covilhã Acessível – Guia da Cidade”, bem como a implementação de nova sinalética na cidade. Durante a sessão foi também assinalado o início do funcionamento do Wi-Fi na Covilhã, um incentivo já aprovado e concretizado de 45 mil euros, ao abrigo da Linha de Apoio à Disponibilização das Redes WI-FI.

No município do Fundão, em Alcongosta, foi ainda assinado, no âmbito da Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior, um contrato com um incentivo de 135 mil euros para a expansão e modernização do Natura Glamping, uma oferta de alojamento turístico na modalidade de glamping, em plena Serra da Gardunha.

A secretária de Estado do Turismo esteve também na aldeia de Monsanto onde foram assinados os contratos com o município de Idanha-a-Nova e com a Associação das Aldeias Históricas. O município de Idanha-a-Nova aposta num projeto de afirmação de Monsanto enquanto destino turístico qualificado e diferenciado, ajustado a uma procura turística exigente, abrangente e em franco crescimento, com um incentivo aprovado de 394 mil euros, ao abrigo da Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior. Fazem parte projetos como o de implementação de um sistema inteligente de gestão do tráfego e do estacionamento que, entre outras funcionalidades, permitirá a gestão do estacionamento dentro da aldeia.

Também no âmbito da mesma Linha, com um incentivo aprovado de 399 mil euros, a Associação das Aldeias Históricas arranca com um projeto para desenvolvimento e promoção da Grande Rota 22, com ações de promoção, sinalização e promoção da mobilidade inter aldeia. O objetivo é capacitar esta rota para que possa responder a todas as necessidades de quem a percorre.

Ainda com a Associação das Aldeias Históricas, mas no âmbito da Linha de Apoio à Disponibilização de Redes Wi-Fi, foi assinado um contrato com um incentivo aprovado de 650 mil euros, que visa promover a disponibilização de redes Wi-Fi nos centros históricos e nos espaços públicos de maior afluxo de turistas no conjunto das doze aldeias históricas.

Para Ana Mendes Godinho, estes projetos concretizam a política de dinamização turística do interior. “Estes projetos refletem o dinamismo que se sente no país em termos de investimento e projetos inovadores no turismo, associados à valorização do território, do património e da natureza. O Programa Valorizar que criámos há um ano aprovou até ao momento cerca de 230 projetos, demonstrando que o turismo é um instrumento de dinamização das economias regionais, estando cada vez mais a acontecer em todo o país”, afirmou em comunicado.

Para o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, “o Programa Valorizar é um mecanismo que visa investir na dinamização turística de uma região que, infelizmente, foi altamente fustigada nos últimos meses”. Pretendemos, assim, cumprir os nossos objetivos estratégicos de qualificar, capacitar e diversificar a oferta, contribuindo para uma procura mais homogénea por todo o território nacional”, conclui.