Julho traz maré cheia de animação aos parques e monumentos de Sintra

Julho traz maré cheia de animação aos parques e monumentos de Sintra

Categoria Agenda, Inside

Os dias quentes e longos de julho pedem férias e diversão. Para que todos possam aproveitar o verão ao máximo, os parques e monumentos de Sintra oferecem uma programação diversificada. Tirando partido dos dias mais amenos e descontraídos que se vivem nesta época do ano, as propostas permitem navegar entre natureza e cultura, sem nunca perder de vista a diversão.

Para os mais novos, de 1 a 5 de julho e de 8 a 12 de julho, há Férias na Floresta, na Quintinha e Tapada de Monserrate. Acabado o ano letivo, é tempo de brincar e de descobrir que no meio natural há sempre coisas novas para aprender e liberdade para correr, para trepar e para criar. O programa, implementado pela Parques de Sintra e pela Movimento Bloom, visa religar as crianças à natureza e aplica a componente lúdica aos jogos, atividades e oficinas. Desta forma, estimula-se a aquisição de competências individuais e coletivas, o espírito de equipa e o respeito pelos outros e pela biodiversidade.

Nos dias 13, 14, 16, 17, 18, 19, 20 e 21 de julho, às 21h30, a peça de teatro “A Disputa”, de Marivaux, é levada à cena nos Jardins do Palácio Nacional de Queluz, na Cascata das Conchas. O espaço, que no século XVIII foi palco de vários espetáculos teatrais destinados à família real e à corte, volta a acolher uma peça de teatro, contemporânea da época áurea de vivência deste palácio, que convida a uma viagem no tempo e também à reflexão acerca de um tema intemporal. Um jovem Príncipe e a sua Dama, Hermianne, pretendem ver resolvida uma questão sobre a qual se debatem: quem terá, em primeiro lugar, sido infiel e inconstante no amor – os homens ou as mulheres? A encenação está a cargo do ator e encenador João Reis e os figurinos são da autoria do estilista Nuno Baltazar. Integram o elenco da peça Pedro Almendra e Soraia Chaves, entre outros.

Mais perto do final do mês, no sábado 27 de julho às 15h00, no Palácio Nacional de Queluz, a visita “Aglaia” dá sequência ao programa que aborda as Cárites, que, na mitologia grega, são três deusas filhas de Zeus (Eufrosina, Aglaia e Tália). Simbolizam, desde o Renascimento, a harmonia do mundo clássico, devido à sua beleza e às suas virtudes. Este trio feminino inspira um ciclo de visitas que se materializa em percursos distintos. O segundo, dedicado a Aglaia, decorre no Palácio Nacional de Queluz e recorre à pintura e à azulejaria aqui presentes para explorar o universo mitológico.