Junho marca a “fase em que se reativam ligações aéreas” com destino ao Algarve

Junho marca a “fase em que se reativam ligações aéreas” com destino ao Algarve

O segundo webinar da Ambitur.pt, que se realizou hoje com o apoio da Região de Turismo do Algarve (RTA), teve o “Algarve no Horizonte” como tema. João Fernandes, presidente da RTA, abriu o debate indicando que o mês de junho marca “a primeira fase de desconfinamento” do setor turístico com o regresso às praias e a “reativação” de ligações aéreas com destino ao Aeroporto Internacional de Faro.

O responsável afirma que junho marca “a nossa primeira fase de desconfinamento já com a época balnear a iniciar” a partir de sábado. Além disso, esta é também uma “fase em que se reativam ligações aéreas” com destino ao Aeroporto Internacional de Faro, entre as quais:

  • Edelweiss com voo semanal de Zurique (28 maio);
  • Luxair com quatro voos semanais (31 maio);
  • Transavia a partir de Amesterdão (4 junho);
  • TUI a partir da Bélgica (15 junho);
  • Volotea a partir de Madrid e Lyon (15 junho);
  • Wizz Air com quatro voos semanais a partir de Luton (junho);
  • easyJet a partir de Belfast (junho);
  • Eurowings a partir de Düsseldorf, Hamburgo (junho) e Munique (julho).

João Fernandes avança ainda que a British Airways e a Jet2 regressam ao Algarve a partir de julho e realça que “a Lufthansa designou o Aeroporto de Faro entre os 20 destinos internacionais que escolheu para arrancar a sua atividade”. O responsável reflete que “há esta procura internacional que ainda há três semanas era difícil de antever” pelo que “os sinais são crescentemente positivos”.

A crise provocada pela Covid-19 pode também trazer a “oportunidade de captar novos públicos-alvo” e nota-se até, nos primeiros voos, muitos turistas que viajam para a região pela primeira vez porque “foi o primeiro voo que encontraram para um país no Sul da Europa”, revela. Assim, “alguns nichos que costumavam ir para a Côte d’Azur, Marbella e Sardenha, têm agora oportunidade de conhecer o Algarve”.

O presidente da RTA prevê que entre julho e agosto seja o “período de maior procura” assim como “o barómetro para a capacidade e a confiança para se restabelecerem viagens”. João Fernandes espera que em julho seja reaberta a fronteira com Espanha e o Reino Unido, tradicional mercado emissor para a região, que se encontra “numa fase já mais avançada de desconfinamento e com o término da obrigatoriedade da quarentena”.

A esperança é que “setembro e outubro sejam também sinais claros de consolidação internacional”, adianta, até porque “nos últimos dois meses de outubro tivemos mais passageiros desembarcados no Aeroporto de Faro do que em agosto de 2015” e até fevereiro deste ano o Algarve cresceu cerca de 14,6% no número de hóspedes. João Fernandes observa que “a atenuação da sazonalidade tem sido um fator essencial” e que “há que acreditar que a notoriedade que a região e o país têm granjeado durante esta crise será fator essencial para a retoma”.