KINO: Cinema Alemão em destaque no São Jorge até 30 de janeiro

KINO: Cinema Alemão em destaque no São Jorge até 30 de janeiro

Começou esta quinta-feira a 16.ª edição da  KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã em Lisboa. O Cinema São Jorge é o local onde, até 30 de janeiro, irão ser exibidas 21 longas metragens inéditas.

Apresentada pelo Goethe-Institut Portugal, a KINO tem o apoio do Turismo da Alemanha e das embaixadas da Áustria, Suíça e Luxemburgo. A programação é assegurada pela dupla luso-alemã Carlos Nogueira, curador e crítico, e Corinna Lawrenz, responsável pela programação de cinema do Goethe-Institut.

Corinna Lawrenz e Carlos Nogueira

À  conversa com a Ambitur.pt, a responsável conta que a Mostra “já existe há 16 anos. Começou como um pequeno festival de cinema alemão”.

Em 2008, o festival ganha um outro fôlego quando passa a ser uma “mostra de cinema de expressão alemã, o que significa que incluiu, além da Alemanha, a Áustria, Suíça e Luxemburgo”, explica Corinna Lawrenz. O Cinema São Jorge passa também a acolher a mostra a partir dessa data. “Desde então, tem apresentado todos os anos, as produções recentes mais notáveis dos países de língua alemã”, refere.

“Exibir cinema que não se pode ver noutros sítios” é um dos grandes objetivos da Mostra. “Queremos dar a conhecer o cinema jovem e as tendências que existem no âmbito dos realizadores mais novos”. No entanto, os “grandes nomes da língua alemã” não são esquecidos: “temos todos os ano presentes na programação”, indica Corinna Lawrenz. Para a organização, o mote é sempre “exibir um cinema bastante interessante e que vai muito além dos circuitos de distribuição comercial”.

Filme “3 Tage in Quiberon”

Com um público “muito diverso”, a mostra “tem crescido constantemente” e “tem-se adaptado a todas circunstâncias. O nosso papel não é atingir apenas o público alemão”, explica a responsável, acrescentando que a organização está “a trabalhar para dar a conhecer um cinema diferente a todas as pessoas que gostam de bom cinema”. Esta tentativa de chegar a todos os públicos reflete-se na escolha dos filmes a exibir que terá, pela primeira vez, um filme em português na programação. Realizado por um jovem português residente em Berlim, a escolha da longa-metragem é “um bom exemplo que ilustra o espírito deste festival.

Na sessão de abertura do festival, esta quinta-feira, a escolha recaiu sobre o filme “3 Tage In Quiberon” (Três Dias em Quiberon), realizado por Emily Atef, e que retrata Romy Schneider, uma das mulheres mais célebres e singulares da história do cinema alemão.

“Estamos muito satisfeitos por apresentar uma visão geral da cinematografia atual da Alemanha, da Áustria, do Luxemburgo e  da Suíça”, disse Susanne Sporrer, diretora do Goethe-Institut Portugal, que expressou ter um “grande orgulho” por este evento. A diretora aproveitou ainda o momento para agradecer a todas as entidades envolvidas e que fizeram “acontecer esta Mostra Cinematográfica”, assim como à parceria com o Turismo da Alemanha.

Cristiana Macedo