Les Roches Marbella com convocatória extra em Outubro

Categoria Home

A Les Roches Marbella apresenta um novo prazo de candidatura, para admissão em Outubro, para as licenciaturas em Gestão Hoteleira internacional e Alta Direcção Hoteleira, e para a nova licenciatura em Administração Hoteleira com inglês intensivo e serviços. Esta convocatória extra da Les Roches Marbella, vai no seguimento de uma procura crescente de novos desafios e de um mercado cada vez mais competitivo e exigente. A nova licenciatura, em Administração hoteleira com inglês intensivo e serviços, consiste num programa inicial de seis meses, além dos frequentados em qualquer uma das licenciaturas em já existentes, com duração total de quatro anos (dividido em seis semestres teóricos e dois práticos em Espanha ou no exterior). O curso intensivo de pós-graduação em Gestão Hoteleira internacional destina-se a Licenciados, com um mínimo de três anos de experiência em hotel ou indústria turística, e profissionais que desejem especializar-se numa área superior, de forma a aumentar ou reorientar a sua carreira na indústria hoteleira internacional.As outras licenciaturas estão divididas, respectivamente, entre três anos e meio, 5 semestres teóricos e dois práticos, e três anos, divididos entre 3 semestres teóricos e 3 de estágio, que podem ser feitos em Espanha ou no exterior. Segundo Carlos Diez de La Lastra, director da Les Roches Marbella “o sector hoteleiro é particularmente complexo e integra numerosos e variados serviços especializados, que requerem profissionais cada vez mais qualificados a todos os níveis dentro de um setor em constante crescimento. Combinar a formação teórica com a prática é essencial para alcançar o topo nos profissionais de gestão de hotelaria. De acordo com o último relatório do World Travel and Tourism, relativo a 2013, nesta próxima década o sector de hospitality vai gerar um de cada dez postos de trabalho em todo o mundo, em termos globais, envolvendo mais de 3200 milhões empregos, com um crescimento acima dos quatro por cento, que poderá chegar aos 10 por cento do produto interno bruto global.”