Lisboa, Porto e Algarve no top dos destinos portugueses mais procurados no verão

Lisboa, Porto e Algarve no top dos destinos portugueses mais procurados no verão

Findo o verão, o trivago efetuou uma análise dos destinos mais procurados durante esta estação e há algumas surpresas: os espanhóis, que representam a maior fatia de turistas estrangeiros no nosso país durante este período, procuram Lisboa e Porto, mas também outros destinos no Norte do país, como Braga e Guimarães.  Já os Britânicos e Irlandeses preferem claramente o sul do país, com mais de metade do seu top 20 a pertencer ao Algarve. Ainda assim Lisboa e Porto são os destinos mais populares a nível global.

O Estudo de Tendências de Verão 2015 do trivago apontou, como seria expectável, uma grande afluência dos portugueses (e estrangeiros) para o sul do país. No entanto, há outros destinos portugueses também muito procurados.  Para além da região do Algarve, Albufeira e Monte Gordo, existe uma grande procura por parte dos portugueses pela região do Alentejo, ao contrário do que acontece com os turistas estrangeiros. As regiões do Centro e Lisboa dominam o resto do top. Já os espanhóis parecem valorizar outras localidades, com características menos típicas da estação, com o Porto, o Norte de Portugal, Braga e Guimarães a estarem no top dos destinos mais procurados. Ainda assim, as pesquisas pelo Algarve não deixam de estar presentes.

Franceses e alemães apresentam pesquisas mais diversificadas. De acordo com o mesmo estudo, as pesquisas pela capital, Invicta e região do Algarve são proeminentes em ambos os casos, mas os franceses revelam ainda interesse por cidades como a Figueira da Foz, Coimbra ou Funchal. Os alemães pesquisam por localidades da região do Centro e Lisboa, bem como pela região da Madeira. Os britânicos e irlandeses parecem ter tendências de viagem semelhantes, uma vez que grande parte do top 20 é dominado por pesquisas pela região do Algarve – 14 no caso dos britânicos e 10 nos irlandeses. Para além de Lisboa e Porto, estes procuram ainda pela região da Madeira, ao contrário do que acontece com os espanhóis e portugueses.