Lufthansa e sindicado de pilotos assinam acordos coletivos de trabalho a longo termo

Lufthansa e sindicado de pilotos assinam acordos coletivos de trabalho a longo termo

Categoria Business, Transportes

A Lufthansa e o sindicato dos pilotos Vereinigung Cockpit (VC) assinaram um novo acordo coletivo de trabalho (ACT) sobre todos os itens que ainda estavam em aberto, segundo revela a companhia, em comunicado. Os contratos assinados correspondem ao contrato assinado em março. O ACT está sujeito à aprovação dos membros do sindicato por votação.

Entre outros pontos, ambas as partes acordaram um acordo coletivo e um novo acordo de remunerações assim como pagamentos de pensões e pagamentos transitórios pelo menos até junho de 2022. Ambas as partes chegaram a um acordo coletivo de trabalho a longo termo e, assim, a relações laborais estáveis a longo termo. Os novos contratos resultarão numa poupança de custos estruturais de 15% de custos com pessoal no cockpit – antes de aumentos de ordenados serem pagos no futuro. Ao mesmo tempo, o acordo permite a contratação de pilotos juniores nas companhias aéreas já mencionadas.

“Com o acordo coletivo de trabalho, criámos o fundamento para uma nova relação social com o sindicato VC”, referiu Bettina Volkens, COC Recursos Humanos e Assuntos Legais. “Estamos a criar em conjunto uma paz social sustentável até 2022. Este compromisso abre perspetivas de carreiras para os nossos pilotos, dando uma contribuição importante à competitividade da nossa empresa”.

Pagamento de pensões e transitórios
O esquema de pensões passará de um sistema de benefícios definidos para um sistema de contribuições definidos, como já acordado com o pessoal de terra e de cabina. Daí resultará que as obrigações com pensões serão reduzidas para um valor alto de três dígitos de milhões de euros e, como consequência, o EBIT 2017 melhorará para um valor significativo de três dígitos de milhões de euros.

O pessoal do cockpit manterá no futuro o nível anterior dos benefícios de pensão, podendo adicionar-lhes contribuições voluntárias. O atual esquema de pagamentos transitórios será, em princípio, retido. No entanto, até 2021 a idade média com a qual os pilotos da Lufthansa Passenger Services poderão reformar-se, irá aumentar gradualmente até aos 60. Esta já é a idade atual para a reforma para pilotos da Lufthansa Cargo e da Germanwings. Os pilotos também irão manter os direitos de proteção contra a incapacidade permanente de voar.

Perspetivas de contratação e de carreira para pilotos
Os termos e condições acordados sobre um pacote para operar um mínimo de 325 aviões com pilotos da Lufthansa, Lufthansa Cargo e Germanwings até ao final de 2022, criará novas e futuras perspetivas de carreira. Mais de 700 pilotos juniores serão contratados e pelo menos 600 lugares para futuros comandantes serão criados.

Remuneração e acordo coletivo de trabalho
Os pilotos da Lufthansa, Lufthansa Cargo e Germanwings irão receber aumentos graduais de vencimento, totalizando 10,3%, e um pagamento único de até 1,8 salários mensais entre maio de 2012 a junho de 2022.

O salário inicial e ordenado final potencial para futuros empregados irão continuar a ter por base os níveis atuais. As estruturas de remuneratórias dos atuais empregados manter-se-ão inalteradas. Aumentos mais moderados irão, contudo, reduzir os custos. Adicionalmente irão ser acordadas mais medidas de modo a aumentar a produtividade.