“Luz verde” para o projeto de business inteligence do Turismo de Portugal

“Luz verde” para o projeto de business inteligence do Turismo de Portugal

O Turismo de Portugal já tem a autorização para avançar com o já programado projeto de Business Inteligence. Em entrevista ao Ambitur.pt, João Cotrim de Figueiredo, presidente do Turismo de Portugal, afirmou que “temos, neste momento, as condições administrativas para por no terreno aquilo que, em bom rigor, há algum tempo devia estar disponível”.

O projeto é direcionado aos vários públicos que possam “precisar de informação e de apoio de conhecimento do Turismo de Portugal”, desde investidores a decisores políticos, passando pelos estudantes de turismo ou comunicação social e pretende ser “não um sistema virado para a cultura geral do turismo, mas sim para o apoio à decisão em matéria de turismo”.

Segundo o responsável, a nova plataforma, que deverá ser “adpatável” disponibilizará dois tipos de informação: “aquela que é mais factual e tende a olhar para o passado, estamos a falar de estatísticas, informações mais ou menos estáticas sobre mercados, tipo de comportamento de consumidores, etc; e conclusões e súmulas, provenientes de informações de Portugal e de fora, muito mais aplicadas à tomada de decisão de quem quer abrir um hotel de determinada tipologia ou começar a entrar numa atividade de animação turística em determinada região ou tentar perceber se os níveis de preço que está a pensar praticar são compatíveis com a procura que existe, se em termos de benchmarketing há coisas que são mais ou menos bem feitas noutras geografias do planeta, portanto, tudo isso são questões que frequentemente se colocam a quem está no turismo a gerir a sua actividade e que o Turismo de Portugal tem a obrigação, e é a única entidade que o pode fazer de uma forma abrangente, de se tornar muito mais útil”.

Na mesma ocasião, João Cotrim de Figueiredo, afirma que “estamos muito atentos às fontes de informação que já temos, àquelas fontes de informação que no mercado estão disponíveis e que podem ser incorporadas e vão ser incorporadas”. Nesta matéria, o Turismo de Portugal tem já entendimentos com várias associações do setor e fora do setor, tem protocolos estabelecidos com o INE, entendimentos com a CTP e outros contatos com as relações internacionais.

 

Raquel Pedrosa Loureiro