Madeira incentiva ao turismo com novas condições de acesso a corredor verde

Madeira incentiva ao turismo com novas condições de acesso a corredor verde

Categoria Destinos, Explore

O corredor verde já existia no aeroporto da Madeira para quem chegava com teste negativo. Passa agora a receber também turistas vacinados e recuperados da COVID-19 (com comprovativo até 90 dias de validade) que queiram desfrutar da região. Para tal, têm de apresentar os devidos certificados que atestam as suas novas condições. A decisão representa um voto de confiança na nova fase que o mundo está a viver, para além de incentivar as visitas à ilha e ser um estímulo à atividade económica, enquanto se mantém o destino seguro.

Para serem elegíveis, os turistas que se insiram nestas novas condições têm de comprovar o seu estado atual através de um de dois documentos. O comprovativo de vacinação e o comprovativo de recuperado devem ser submetidos na app madeirasafe.com antes da realização da viagem, em língua Inglesa para estrangeiros.

O passaporte ou cerificado de vacinação tem de ser validado pelo respetivo país de origem e fazer constar nome, data de nascimento, número de saúde, tipo e data do teste, tipo de vacina, data das duas tomas realizadas e o respeito pelo período de imunização de acordo com a bula de cada vacina.

Os passageiros recuperados da COVID-19 têm de apresentar um documento, válido por 90 dias, que comprove a sua recuperação. O mesmo deverá especificar o tipo de teste, a data da sua realização e a palavra “recuperado”. Se o documento apresentado indicar que o turista recuperou há mais de 90 dias, o seu portador fica sujeito às condições normais, de novo teste e confinamento obrigatório enquanto aguarda o resultado do mesmo. De referir que, os testes realizados no aeroporto e nas clínicas protocoladas no continente, continuam a ser gratuitos.

Não obstante, todos os turistas durante a sua estadia deverão respeitar as restrições em vigor, conhecidas na sequência da pandemia, e cumprir as normas de Segurança Sanitária, onde se inclui o uso obrigatório de máscara, a partir dos 6 anos, distanciamento social (2 metros entre pessoas e evitar aglomerados) e higienização frequente das mãos.

Estas novas medidas de acesso ao corredor verde são uma realidade possível de existir devido à entrada do mundo num novo ciclo de esperança, providenciada pelas vacinas aprovadas. A decisão reflete não só um voto de confiança na atual situação como, também, visa ser uma reabertura do destino ao turismo e um estímulo à economia regional.