MSC Cruzeiros apresenta em relatório as tendências do futuro na experiência dos viajantes

MSC Cruzeiros apresenta em relatório as tendências do futuro na experiência dos viajantes

A MSC Cruzeiros divulga à imprensa “O Futuro da Experiência dos Viajantes”, um relatório inovador que explora as tendências que terão impacto no futuro da indústria das viagens. De acordo com a companhia, o relatório foi criado em parceria com a consultora The Future Laboratory e identifica de que forma é que as marcas nos setores de viagens e alojamento terão de disponibilizar experiências de “ultra-alta definição” (UHD) para satisfazer as necessidades do viajante do futuro. Com o grande impacto da hiper-conetividade, da urbanização e da transformação demográfica, o relatório indica que o “futuro da indústria dos cruzeiros está cheio de desafios, mas mais importante ainda, de oportunidades”.

Segundo o mesmo relatório, o “luxo passará a ser hiper-luxuoso, os spas serão hiper-revitalizantes, o entretenimento será 5D e até mais”. Quanto às viagens, serão orientadas por um propósito, o que “enriquecerá a vida e a mente dos viajantes”. Os hóspedes do futuro vão valorizar a “fluidez, a liberdade e a fluência cultural”, enquanto procuram pela “descoberta e pelo o auto-aperfeiçoamento”. As marcas do setor das viagens terão de “dar resposta, proporcionando experiências com as quais os viajantes de diferentes mentalidades se identifiquem e comunicando novas perspectivas que os ajudem a crescer e a progredir”, refere o estudo.

Para o executive Chairman da MSC Cruises, Pierfrancesco Vago, “um dos desafios da indústria dos cruzeiros é a necessidade de projectar e construir novos navios que se mantenham inovadores e de última geração para os nossos hóspedes, daqui a 30 anos. Por esse motivo, as tendências de inovação e consumo estão no centro do nosso ADN e precisamos de ter uma visão forte e clara para o futuro, combinada com um estilo intemporal. Através da inovação inteligente e do design, com um forte compromisso com viagens sustentáveis, estaremos aptos a facilitar todos os tipos de experiências futuras”.

Os viajantes do futuro vão procurar uma experiência de férias verdadeiramente personalizada. O relatório demonstra que a tendência das Data ID Wallets vai permitir às marcas criarem uma experiência verdadeiramente dinâmica, integrada e hiper-personalizada. Os navios de cruzeiro e resorts serão as verdadeiras bases de dados, avaliando o comportamento dos hóspedes para melhor informar sobre os serviços oferecidos. Os assistentes e dispositivos de Inteligência Artificial (IA) continuarão a desempenhar um papel importante na satisfação das necessidades dos hóspedes.

Neste sentido, a MSC Cruzeiros assume estar na “linha da frente ao utilizar a tecnologia de IA activada por voz para disponibilizar um serviço aos hóspedes”. A ZOE é a primeira assistente pessoal virtual de cruzeiro do mundo e foi introduzida a bordo em março de 2019. Atualmente disponível em sete idiomas (com mais em desenvolvimento), a ZOE continuará a “evoluir para se tornar parte integrante da experiência do viajante de cruzeiro, antecipando necessidades e informações de acordo com as preferências de cada hóspede”, sublinha a companhia em comunicado.

Tecnologias como a ZOE serão também “fundamentais para facilitar a tendência do Design Subconsciente, onde as tecnologias responsivas vão adaptar na perfeição os ambientes de acordo com o humor e as emoções de cada hóspede”. Segundo o mesmo estudo, o camarote do navio de cruzeiro do futuro poderá vir a ter “sensores de sinais biológicos que monitorizam os batimentos cardíacos e a expressão facial, ajustando a luz e a temperatura para o máximo conforto”. Outra opção identificada poderá passar pela “existência de materiais inteligentes que actuem como arte viva, mudando para criar um ambiente visualmente imersivo, alinhado com o estado emocional do viajante”.

Questões ambientais

À medida que os viajantes se tornam cada vez mais conscientes do impacte ambiental das suas viagens e procuram opções de férias ecológicas, o estudo indica que a experiência do hóspede em 2030 colocará um enfoque significativo na sustentabilidade, no impacto social e no compromisso cívico.

Segundo Pierfrancesco Vago, “estamos intrinsecamente ligados ao mar e, nessa perspectiva, existe uma grande oportunidade de desempenhar um importante papel quando se trata de retribuir ao meio ambiente e ao planeta como um todo. Somos a primeira companhia de cruzeiros a operar no mar com carbono neutro e o destaque que damos ao nosso compromisso com o meio ambiente é impulsionado não só pela nossa paixão pessoal em proteger os oceanos, mas também pela necessidade de oferecer aos nossos viajantes uma forma sustentável de viajar.”

O desejo de viajar com um propósito também verá o crescimento dos Resorts Reaproveitados, onde as marcas de alojamento irão transformar espaços desabitados ou abandonados, promovendo as economias locais, tornando-os em destinos únicos. A Ocean Cay MSC Marine Reserve nas Bahamas é um exemplo de um desses destinos. A MSC Cruzeiros trabalhou para transformar aquilo que anteriormente foi um local de escavação industrial num destino ecológico para os viajantes. A ilha foi desenvolvida para criar um impacto positivo a longo prazo, tanto em termos ambientais, quanto nas comunidades locais das Bahamas.

A ilha está envolta em mais de 100km2 de águas protegidas e a objectivo é transformar essas águas numa reserva marinha próspera e florescente. Será também criado na ilha um centro de conservação para a realização de investigações sobre a saúde e a restauração dos corais, estando também previsto o desenvolvimento de uma parceria académica com a Universidade das Bahamas. A Ocean Cay teve também um impacto económico positivo ao disponibilizar materiais localmente, sempre que possível, e ao empregar bahamenses durante a construção da ilha que, a longo prazo, passarão a viver e a trabalhar na Ocean Cay a tempo integral.

Com a procura dos consumidores pela personalização, pela vontade de convívio e desejo por uma experiência com propósito ao longo da próxima década, as marcas que cumpram essas três frentes criarão uma experiência para o viajante que é realmente de altíssima definição. A indústria dos cruzeiros ficará na vanguarda dessa transformação, adoptando inovações criativas e voltadas para o futuro que vão além do que é esperado.

Foto cedida pela MSC Cruzeiros