New York Times elege Rabat como uma das cidades a visitar em 2015

Categoria Destinos, Explore, Home

Rivalizando com as célebres cidades imperiais de Fez ou Marraquexe, Rabat figura este ano na lista das 52 cidades a visitar em 2015 do New York Times. Segundo o diário norte-americano, Rabat foi seleccionada pelas suas ruínas romanas, bairros medievais labirínticos, avenidas de estilo europeu, aeroporto recentemente ampliado, moderna rede de eléctricos e também pelo recém-inaugurado Museu de Arte Contemporânea Mohamed VI e a abertura do futuro Ritz Carlton.Localizada na costa Atlântica a noroeste do país, Rabat é uma cidade histórica e uma capital moderna, resultado de um fértil intercâmbio entre tradição e modernismo ocidental, com excelentes infra-estruturas e boas acessibilidades, com um património cultural rico, autêntico, bem valorizado e com um forte potencial turístico. Na faixa costeira a Norte e a Sul de Rabat encontram-se algumas das mais belas praias de Marrocos. Perto do centro, a praia Oudayas – com um extenso areal – é também um spot de surf muito seguro.Orgulhosa do seu passado e incontestavelmente virada para o futuro, a “cidade nova” representa um dos maiores e mais ambiciosos projectos urbanos em África no século XX e, provavelmente, um dos mais completos. O projecto do vale de Bouregreg entre Rabat e Salé é testemunho de uma verdadeira revolução urbana: uma faixa costeira de 11 km dedicada ao turismo, lazer e cultura.Capital do reino, centro diplomático de Marrocos, coração da actividade política e centro da vida intelectual do país, novas medidas foram tomadas para posicionar Rabat enquanto destino turístico e cidade cultural. O recém-inaugurado Museu Mohammed VI, o primeiro do país inteiramente dedicado à arte moderna e contemporânea, inscreve-se no âmbito do programa “Rabat cidade luz, capital cultural de Marrocos” que pretende posicionar Rabat enquanto destino e cidade de cultura. O projecto compreende ainda a construção do Grande Teatro – a concepção é de Zaha Hadid, a primeira mulher do mundo laureada com o prémio Pritzker em 2004 –, do Museu nacional da arqueologia e ciências da Terra e várias casas de cultura, um complexo residencial, unidades hoteleiras, espaços dedicados a actividades comerciais e recreativas, ordenamento de espaços verdes, para além da realização de uma Marina. Estes projectos, virão acrescentar-se às diversas instalações culturais e artísticas já existentes da capital: o Teatro Nacional Mohammed V, a Biblioteca Nacional, museus e galerias privadas disseminadas pela cidade.Para completar a oferta turística da cidade, o Festival Mawazine – ritmos do mundo vai já na sua décima quarta edição. Este ano o festival decorre de 29 de Maio a 06 de Junho 2015, com a presença já confirmada dos Maroon 5 a encerrar o festival.Recorde-se que a cidade se encontra inscrita no Património mundial da UNESCO desde 2012, foi considerada &Cidade Verde& em 2010 (dispondo actualmente de 230 hectares de espaços verdes para além dos 1063 hectares de floresta – de Maamora – que rodeiam a capital), tendo já sido premiada com o segundo lugar dos destinos &TOP TRAVEL DESTINATIONS& para 2013 pela CNN.