Notícias do Brasil… por Cristina Lira

Notícias do Brasil… por Cristina Lira

Categoria Advisor, Opinião

Por Cristina Lira

Enoturismo, gastronomia e aventura: roteiros ao ar livre exploram a Região Uva e Vinho

Vale dos Vinhedos, Caminhos de Pedra e Linha Eulália são os destinos dos passeios em destaque da Giordani Turismo e Eventos.

Ainda em 2020, a tendência desenhada para a retomada do turismo, principalmente turismo interno e de proximidade, foi a de roteiros ao ar livre, com contato com a natureza. Após um novo período com restrições de atividades no Rio Grande do Sul, a aposta do setor segue sendo em experiências de média duração – aproximadamente um turno – explorando destinos e empreendimentos a céu aberto.

Aliando o destino Serra Gaúcha, que por si só já é um atrativo, a Giordani Turismo e Eventos buscou parceiros locais, como vinícolas, restaurantes e parques, para desenvolver novos produtos para seu portfólio de passeios. Assim nasceram quatro novas opções: Piquenique na Serra, Bello Vale, Aventuras na Serra, e Vale dos Vinhedos e Caminhos de Pedra, que apresentam alguns dos encantos naturais de Bento Gonçalves.

Além de romântico, o Piquenique na Serra é a opção para quem gosta de história, pois acontece no Caminhos de Pedra, região que preserva a arquitetura e os costumes dos imigrantes italianos. A cesta vem recheada de sabores e aromas típicos da Região Uva e Vinho, que se completa com a tranquilidade e paisagem encantadora.

Quem busca mais emoção, e não quer deixar de provar o vinho elaborado na Capital Nacional do Vinho, deve optar pelo Bello Vale. A experiência reúne um passeio de quadriciclo entre os parreirais e vista para paisagem do tradicional Vale dos Vinhedos. Ao final do percurso, acompanhado de guia/piloto, o visitante participa de uma degustação de vinhos.

A adrenalina aparece no Aventuras na Serra, onde o turista conhece o Parque de Aventuras Gasper, na Linha Eulália. Além de um visual deslumbrante é possível realizar atividades esportivas mais radicais como o maior bungee jump do Brasil, rapel, paintball, parede de escalada. No valor do passeio o turista pode escolher entre uma descida de tirolesa ou fazer arvorismo.

Reunindo o clássico, mas não menos charmoso, o Vale dos Vinhedos e Caminhos de Pedra é o passeio ideal para quem ainda não conhece muito sobre a região, pois junta em um único roteiro dois dos principais destinos turísticos de Bento Gonçalves. Um guia conduz o passeio e conta a história, detalhes e curiosidades das duas localidades colonizadas por imigrantes italianos em 1875. Com maior duração o passeio inclui almoço típico, visita com degustação no varejo de uma vinícola e uma loja de chocolates artesanais e especialidades regionais.

Todos os passeios seguem os protocolos de segurança, com sanitização periódica dos ambientes e superfícies, uso obrigatório de máscara, aferição de temperatura, distanciamento e dispenser com álcool 70%.

Serviço – Giordani Turismo e Eventos

Piquenique na Serra

R$ 150 por pessoa – sextas e sábados. Duração de aproximadamente 2 horas.

Bello Vale

R$ 210 por pessoa – sábados. Duração de aproximadamente 2 horas.

Aventuras na Serra

R$ 170 – domingos. Duração de aproximadamente 4 horas.

Vale dos Vinhedos e Caminhos de Pedra

R$ 195 – quarta a domingo. Duração de aproximadamente 7 horas.

Informações e reservas:
☎️ 54 3455-2788 e (WhatsApp) 54 99683-9928 |www.giordaniturismo.com.br

Para referência | Boilerplate

A Giordani Turismo e Eventos tem 28 anos de atuação no segmento de turismo. Desde 1992 é a operadora oficial do passeio Maria Fumaça – Trem do Vinho, sendo a mais tradicional e experiente operadora e agência da região Uva e Vinho, na Serra Gaúcha. Empresa referência na preservação e disseminação da história e cultura local, também administra o Parque Cultural Epopeia Italiana, e oferece mais de 30 opções de roteiros, que contemplam variados atrativos da região, e vendidos na própria agência (Bento Gonçalves/RS), ou nas melhores agências e operadoras do Brasil. O Grupo usa sua expertise para a captação e operação de eventos de todos os segmentos, e grupos corporativos. Oferece agenciamento de passagens aéreas, hospedagens e recetivo com serviços de transfer. www.giordaniturismo.com.br

Parceria Portugal & Brasil
Caros leitores da minha crónica da Ambitur, venho sendo muito procurada por diretores e executivos de empresas de turismo de Portugal, desde agências de viagens, empresas de cruzeiros, casamentos, eventos, hospedagens, solicitando meu trabalho para fechar parcerias para negócios divulgando a empresa no Brasil e contactando fornecedores. Já trabalho com Portugal faz anos, tenho a cidadania portuguesa e além de tudo gosto muito de Portugal e sempre participei da BTL nos últimos 8 anos, e das feiras de turismo no Brasil . Trabalho com o turismo há mais de 23 anos. Neste momento, os que quiserem me contactar, podem pelo meus emails lira_cris@hotmail.com e crislira80@gmail.com e pelo whatsapp +55 84 994316084. Agradeço a diretoria da Ambitur pelo fato da minha crónica ser muito lida em Portugal e no mercado europeu ocasionando essa procura pelo meu trabalho.

Pandemia em 2020 faz a faturação das Operadoras de Turismo ficar 67% menor

As viagens domésticas refletem a adaptação do setor e evidenciam o caminho da recuperação

No ano em que comemora sua décima edição, o Anuário Braztoa 2021 divide o protagonismo de superações, conquistas e crescimento de uma década com números que refletem o impacto da pandemia da COVID-19 no setor de Turismo. O estudo realizado pela BRAZTOA (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), cujas associadas representam estimados 90% das viagens de lazer comercializadas pela cadeia produtiva do Brasil, mostra, em números, o contexto econômico nacional e internacional do segmento de viagens de lazer e do comportamento do turista.

Segundo dados da Organização Mundial do Turismo, 2019 fechou com 1,5 bilhão de viagens internacionais, o terceiro maior exportador global. As chegadas internacionais em 2020, que estavam previstas para 1,5 bilhão seguindo as tendências de 2019, não ultrapassaram os 350 mil. Assim, o ano de 2020 regrediu a atividade turística aos patamares de 30 anos atrás.

É diante deste contexto que se faz o lançamento do Anuário Braztoa 2021, que não se limita a 2020. Todo o conteúdo é apresentado traçando paralelos e análises que contextualizam as mudanças da última década e os entraves que fizeram cair os números e linhas dos gráficos dessa atividade, que empregou, 330 milhões de pessoas no mundo todo em 2019, sendo que só no Brasil esse número foi de 7 milhões de pessoas. (WTTC).

Olhar para os números dos últimos 10 anos de faturação dos associados BRAZTOA mostram que o caminho previsto no começo do ano passado era positivo. No período, houve um crescimento de 143%, saindo de R$ 6,2 Bi e alcançando a marca de R$ 15,1 Bi em 2019. Entretanto, como já era previsto, o atípico ano de 2020 apresentou uma redução de 66,8% em relação ao ano anterior, alcançando R$ 4 Bilhões em faturação.

O volume de passageiros transportados na última década foi mais regular, saindo de 4,8 milhões em 2010 para 6,52 milhões em 2019. Ao observar o embarque de passageiros durante 2020, a redução foi 49,9% em comparação a 2019, embarcando 3,3 milhões de passageiros.

Do total de turistas embarcados, mais de 3,16 milhões foram para destinos dentro do Brasil, 96% do total. A percentagem de turistas para destinos internacionais foi de 4%, ou seja, 140 mil brasileiros viajaram para fora do país em 2020.

O turismo nacional representou um faturação de 3,09 bilhões (77%), um aumento proporcionalmente considerável, já que historicamente o doméstico ficava entre 60% e 70% do faturação global. Isso mostra que diversas empresas ampliaram a oferta do mercado doméstico e, diante das restrições, adaptaram de forma rápida o seu portefólio de produtos e conseguiram atender seus clientes com viagens nacionais.

Já as viagens para o exterior – segmento que enfrentou muitos desafios, como fechamento de fronteiras, diminuição da oferta e a variação cambial – atingiram a marca de R$ 909 milhões de faturação (23%). Neste tema, vale lembrar outro fato que encareceu o preço de viagens internacionais: o aumento do Imposto de Renda sobre remessas para pagamento de serviços turísticos no exterior, de 6% para 25%. A BRAZTOA vem trabalhando o assunto junto ao Governo Federal, ainda sem perspetiva de redução.

No Brasil, o Nordeste e suas belas praias se mantiveram na liderança, recebendo 69,9% do total de passageiros embarcados. Já a região Sul ficou em segundo lugar, com 13,6%. O Sudeste foi responsável por uma parcela de 12,4% dos embarques totais no país, enquanto as regiões Norte e Centro-Oeste ficaram abaixo de 5% do total nacional. Entre os destinos que compõem o pódio brasileiro, Salvador ficou na primeira colocação, Maceió e Natal dividiram o segundo lugar e Rio de Janeiro e São Paulo ficaram em terceiro.

Nos embarques internacionais, mesmo com todas as restrições de fronteiras, o destaque vai para a Europa, correspondendo a 28% dos embarques, que podem em boa parte ter sido utilizados pelas viagens a estudos e reagrupamentos familiares, assim como para pessoas de dupla nacionalidade. A América do Norte ficou em segundo lugar na preferência dos turistas, com 23,6%. América Central-Caribe, por sua vez, representou 21% dos embarques, enquanto América do Sul correspondeu a 20% e o bloco Ásia-África-Oceania representa 7,4% do total.

Orlando e Cancún continuaram como os mais vendidos entre os destinos internacionais, ancorados por seus resorts, praias e o complexo Disney na Flórida. Mas restrições sanitárias e de circulação fizeram com que destinos internacionais pouco expressivos até 2019 surgissem na lista dos mais comprados em 2020 – como foi o caso das Ilhas Maldivas. Este exemplo se justifica por uma somatória de fatores: a facilidade de acesso para turistas durante a pandemia, que podem entrar no destino apresentando apenas um teste PT-PCR negativo; tarifas aéreas e de hospedagem convidativas e promocionais, aliadas ao apoio de fornecedores de serviços turísticos locais na remarcação de viagens sem multas ou custos adicionais; além do próprio apelo do isolamento em ilhas proporcionado pelo destino.

Ticket Médio e perfil das viagens

Identifica-se uma redução de 35,6% no ticket médio das viagens domésticas, chegando ao menor valor dos últimos 10 anos: R$ 979. Em partes, esse fator pode ser explicado pela redução das compras das viagens em 2020 e execução das viagens compradas no ano anterior, além da redução de duração das viagens, alteração dos produtos comprados, como foco maior no terrestre e viagens de proximidade, entre outros fatores.

Por outro lado, identifica-se um aumento de 79% do ticket médio internacional, ficando em R$ 6.330, fato que também pode ser explicado pela realização das vendas internacionais, sem a sua execução no ano de 2020, e principalmente pela significativa variação cambial.

Com relação à duração das viagens nacionais, os roteiros de média duração (5 a 9 dias) foram os mais escolhidos (48% das vendas). Já para as viagens internacionais, os roteiros de longa duração (mais de 9 dias) ficaram na frente (41%).

Sobre o tipo de pacote vendido, os completos – aqueles que envolvem a parte terrestre e aérea representam 31% do faturamento, enquanto as viagens que englobam apenas a parte terrestre, sem aéreo, foram responsáveis por 38%. Vale ressaltar que para a aquisição dessas viagens a opção de pagamento parcelado em mais de cinco vezes, atendeu a maior parte dos clientes (47%). O cartão de crédito e o boleto se confirmam como os principais meios de pagamento, sendo utilizado em 48% e 49% das vendas, respectivamente. Destaca-se o grande aumento que o boleto obteve no último ano (13% para 49%), o que pode ser explicado pela aquisição das viagens a partir de financeiras ou crédito direto com as operadoras.

Apesar de todo o cenário desafiador do último ano, observa-se que o comportamento do consumidor não foi fortemente impactado por esta incerteza no que se refere à antecedência de compra. No mercado doméstico, 52% das compras foram feitas com a antecedência de até um mês da viagem. Para o internacional, as compras realizadas entre 61 e 90 dias antes corresponderam a 35% e as com mais de 91 dias para a viagem, 32%.

Expectativas e Considerações
Apesar de ser a mais impactante das crises, esta não é a primeira. Nos últimos 20 anos, foram superados os atentados terroristas em 2001, a epidemia provocada pelo SARS que também iniciou na China em 2003 e a crise econômica de 2008. Em todas elas, o turismo mostrou sua força e resiliência e voltou a crescer.

Diante das restrições à circulação, identifica-se a existência de uma demanda reprimida por viagens, sejam elas nacionais ou internacionais. O advento da vacinação em escala global, utilização de protocolos sanitários e o cenário econômico favorável podem ser condicionantes para uma aceleração na recuperação do setor.

Considera-se que o cenário para 2021 é positivo no contexto global, o Banco mundial prevê uma expansão da economia mundial na ordem de 4% em 2021. Ainda estamos diante de incertezas e com inúmeras variáveis que fogem ao controle. A UNWTO (Organização Mundial do Turismo) faz uma projeção, diante de três cenários possíveis, mas com a expectativa de que em 2 anos e meio, o turismo retorne aos patamares anteriores em número de viagens e receitas.

“Construímos este Anuário como um registro positivo, um motivo para nossos associados, empresários, colaboradores, parceiros, fornecedores e toda a rede da qual fazemos parte se orgulharem – afinal, quando a BRAZTOA leva aos setores público e privado a importância do turismo na economia nacional, é deste elo indissociável e do trabalho de todos que estamos falando. Um documento que atesta a resiliência e a capacidade do turismo para se reinventar – e para onde vamos olhar e lembrar de que passamos pela maior crise da história do mundo e que esse foi apenas o início de uma nova realidade. Esta é a razão de ser do Anuário Braztoa 2021”, disse Roberto Haro Nedelciu, presidente da BRAZTOA.

Praia de Baía Formosa- crédito Setur-RN

Capital do RN, Natal foi o segundo destino mais vendido do Brasil em 2020 
Lançado dia 20, via plataformas digitais, o Anuário da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) 2021 traz a capital do Rio Grande do Norte entre os três principais destinos do Brasil escolhidos pelos viajantes no ano passado. O documento reúne dados estatísticos e de posicionamento estratégico sobre o cenário econômico do turismo durante o ano atípico de convívio com a pandemia.

Segundo o Anuário, os destinos de sol e mar mantiveram a preferência dos viajantes sendo as cidades de Salvador, Natal, Maceió, Rio de Janeiro e São Paulo as mais vendidas, respetivamente. O que segue uma tendência dos últimos anos no qual aponta o Nordeste como o responsável de quase 70% das vendas dessas operadoras.

“Os números refletem o resultado de um esforço de promoção do destino, tanto com ações para o trade turístico, e também com o público final para nos colocarem nessa posição de destaque nacional”, explicou o presidente da Emprotur, Bruno Reis.

SERHS NATAL PROMOVEU O GRAND CHEF SERHS

Diretora do RH Samara, Margson Ytalo o vencedor e o diretor geral do SERHS, Willian Lass – crédito divulgação

O SERHS Natal Grand hotel & Resort, foi palco da primeira temporada do “Grand Chef SERHS”, inspirado no “Master Chef”. Com a participação de doze colaboradores durante três dias,na segunda-feira (12) foi a final do certame gastronômico.

Dos doze candidatos, apenas três chegaram à fase final. O evento contou com a presença de três jurados: a professora de Gastronomia do Senac/ UnP, Tulyane Bezerra, o chef do hotel Visual, Fabiano Ferreira e Miss RN e Miss Brasil 2009, Larissa Costa, que avaliaram alguns aspectos importantes, ao degustarem as delícias preparadadas pelos competidores, desde o sabor, a apresentação dos pratos e a harmonização do conjunto, para decidirem pela melhor técnica de preparação. O evento contou com a supervisão do sub chef, Rodrigo Praxedes.

Segundo a idealizadora do evento, diretora de RH, Samara Câmara, O Grand Chef SERHS foi uma ação motivacional que tinha como objetivo explorar as habilidades e técnicas dos nossos cozinheiros, fazendo com que eles tivessem a oportunidade de mostrar que são capazes de ir muito mais além do habitual na sua profissão. “Ficamos muito orgulhosos, pois a ação foi um sucesso e eles responderam com bastante maestria”, enfatizou Samara.

O vencedor do Grand Chef SERHS foi Margson Ytalo, que recebeu das mãos do diretor geral do SERHS, Willian Lass, voucher de diária no SERHS Villas da Pipa hotel, empresa do Grup SERHS, faca profissional e avental personalizado do evento. Além da premiação, o grande vencedor terá o prato incluso no menu dos restaurantes Tapiro e Marenostrum.

Em segundo lugar ficou Wallan Rocha, e em terceiro, Francidalva da Silva, que receberam cada um,voucher da loja Sol Brasil, também empresa do Grup SERHS, faca profissional e avental personalizado do evento.

Devido ao sucesso da primeira temporada, outra edição do Grand Chef SERHS está prevista para acontecer ainda este ano. E outros modelos já estão sendo pensados.