Novo mandato da ADHP: “É preciso que as pessoas sintam que vale a pena vir para o setor”

Novo mandato da ADHP: “É preciso que as pessoas sintam que vale a pena vir para o setor”

Os Órgãos Sociais da ADHP – Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal, para o mandato 2019-2022, tomaram posse ontem numa cerimónia que teve lugar no Júpiter Lisboa Hotel. O presidente da direção, Raul Ribeiro Ferreira, enfatizou no seu discurso que o maior desafio que se coloca ao setor são os recursos humanos.

O presidente da direção da ADHP assegurou: “Não deixamos de lamentar que só agora o setor tenha percebido que o desafio são os recursos humanos, nós chamamos a atenção há vários anos para que este problema iria acontecer.” Segundo o próprio, as expectativas dos jovens são altas, as remunerações baixas e falta regulamentação das profissões e evolução nas carreiras abrangidas pelo setor. “É preciso reconhecer as profissões, criar carreiras, é preciso que as pessoas sintam que vale a pena vir para o setor”, alerta.

Nesse sentido, a ADHP deixa a promessa de continuar a trabalhar na certificação que criou para os diretores de hotéis, de forma a aumentar o reconhecimento público da profissão. Afinal, o que é hoje um diretor de hotel e que competências tem? “Hoje somos diretores com conhecimentos em várias áreas”, responde Raul Ribeiro Ferreira, desde o alojamento, receção, housekeping, F&B, marketing digital até à área financeira, jurídica, de segurança e sustentabilidade.

Em seguida, traça o perfil de um diretor de hotel: com idade compreendida entre os 40 e os 55 anos (a idade média é de 50,5 anos), hoje a maioria dos diretores de hotel são homens (77%). “Ainda temos aqui um caminho grande para percorrer para que esta desigualdade desapareça”, afirma o responsável”, quando à questão de género. Em média, um diretor permanece à ‘frente’ de um hotel durante cerca de 28,8 anos e “mais de 85% dos diretores são contratados sem termo, o que também traz por parte das entidades empregadoras sinais claros de que confiam nos quadros que têm à frente dos hotéis”, remata.

Raul Ribeiro Ferreira recordou, ainda, o rumo que o Turismo tomou e o percurso da Associação. O saldo é positivo: “Hoje temos um turismo a crescer, a taxa de ocupação nacional está nos 65%, o RevPar está quase nos 50 euros, o número de hotéis não pára de aumentar, os prémios chegam em catadupa todos os dias, até parece que é fácil.”

Órgãos Sociais – Triénio 2019-2022

Assembleia Geral

Presidente – José Portugal Catalão
1.º Secretário – Henrique Pontes Lopes
2.º Secretário – Sérgio Renato das Neves Simões

Direcção

Presidente – Raúl dos Santos Ribeiro Ferreira
Vice-Presidente – Fernando Miguel Farropas Garrido
Secretário – José João Jordano Serrano
Tesoureiro – Paulo Jorge Ferreira Cabaças Lopes
1.º Vogal – Marco Aleixo Pinto Moura da Silva
2.º Vogal – António Manuel da Silva e Melo
3.º Vogal – Miguel Maria Pereira de Mello Breyner
4.º Vogal – Nuno Miguel Fernandes Dias Leandro
5.º Vogal – Patrícia dos Reis Correia
Secção Júnior – Leonardo de Sousa Henriques das Neves Simões

Conselho Fiscal

Presidente – Fernando Mateus Dias Carvalho
1.º Secretário – Carlos Ferreira da Costa
2.º Secretário – Maria da Luz Deslandes Pinto Basto

Rita Inácio