Novo “PENT” só depois das eleições

O presidente do Turismo de Portugal, João Cotrim de Figueiredo, confirmou ao Ambitur.pt que o documento “Turismo 2020 – cinco princípios para uma ambição”, apresentado no passado mês de julho e que veio substituir o PENT (Plano Estratégico Nacional do Turismo), não deverá ser aprovado em Conselho de Ministros antes das eleições do próximo dia 4 de outubro.

Segundo o responsável, e tendo em conta  que existia um “problema de calendário” com o “PENT a terminar no final de 2015” e o “final da legislatura a ocorrer agora”, havia várias hipóteses: “deixar trabalho feito, não deixar trabalho feito, deixá-lo aprovado em contexto final mas não em Conselho de Ministros ou deixá-lo aprovado em Conselho de Ministros”. Segundo João Cotrim de Figueiredo,  “foi considerado, e aí não tanto pelo turismo de Portugal, mas pela própria tutela, que seria mais correto fazer toda a preparação do documento, a sua discussão pública mas não fazer a aprovação em Conselho de Ministros”.

Para o presidente do Turismo de Portugal, “qualquer governo que suceda às eleições de outubro deve sentir-se livre para ter os documentos enquadradores que entenda”.  O que se pretendeu foi assim criar um “documento que fosse suficientemente aberto e focado em resultados para que pudesse ser adoptado, na sua maioria, por qualquer partido que venha a ocupar o Governo”, acrescentou.

No entender de João Cotrim de Figueiredo,  “é essencial transmitir com clareza a todo o sector o que se está a tentar fazer”. O que se tentou fazer com a criação deste documento “muito dinâmico” foi, segundo o responsável, “ser bastante claros relativamente aos princípios de orientação, quisemos ser claros quanto à forma como cada uma das áreas do Turismo de Portugal e as actividades do turismo em geral se podem coordenar, mas deixando grande espaço para que quem está no terreno faça aquilo que tem feito até agora e que tem funcionado muitíssimo bem, que é olhar para o panorama do turismo, os seus enquadramentos, ver as suas oportunidades e criar”.