Observatório do Turismo de Lisboa: Lisboa regista crescimento na ocupação em maio

Observatório do Turismo de Lisboa: Lisboa regista crescimento na ocupação em maio

O Observatório do Turismo de Lisboa acaba de divulgar os dados relativos à cidade e à região durante o mês de maio.

Alojamento: Páscoa impulsiona atividade turística 

A interrupção da Páscoa fez aumentar os movimentos no setor do alojamento turístico, em Portugal, com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) a revelarem que se registaram 2,3 milhões de hóspedes, em abril, o correspondente a uma variação positiva de 9,1% comparando com o período homólogo de 2018.

No que às dormidas diz respeito, registaram-se 5,8 milhões de dormidas, um aumento de 9,5% face ao ano anterior, e de 0,7% em comparação com o mês de março. Numa análise por dormidas, o número de residentes a pernoitar fora de casa aumentou 16%, enquanto as dormidas de não residentes registaram um aumento de de 7,1%.

O INE faz ainda referência ao mercado espanhol, “tradicionalmente sensível ao ‘efeito Páscoa’”, que apresentou um crescimento “expressivo” de 55,7% nesse período. Também neste mês, a estada média cresceu 0,4%, situando-se nas 2,57 noites.

Tax Free: Compras feitas por norte-americanos aumentam

Um estudo da empresa Global Blue, especializada em soluções de Tax Free, conclui que os turistas norte-americanos são a quarta nacionalidade que mais compra, em Portugal. Aproveitando o programa de reembolso de impostos pagos em compras feitas em turismo — o Tax Free (livre de impostos), os norte-americanos gastaram em média, no ano passado, cerca de 562 euros por compra. Este valor representa um aumento de 11% face aos anos de 2017 e 2018.

Os turistas provenientes dos Estados Unidos têm por eleição a Avenida da Liberdade, realizando cerca de 55% das suas compras nessa zona. Obtêm, sobretudo, artigos de moda, que representam 71% dos artigos adquiridos, deixando ainda 18% das compras para adereços como joias e relógios. Estes turistas apresentam o crescimento mais acelerado neste tipo de compras e são também os principais responsáveis pelo aumento percentual das compras livres de impostos, que, a nível global, cresceram 25% nos últimos três anos.

A Global Blue esclarece ainda que “este crescimento está em linha com o aumento de 12% registado nos últimos cinco anos em Portugal, o dobro do que aconteceu no resto da Europa”.

Cidade de Lisboa: Maio com crescimento na ocupação

Em maio, considerando o compêndio geral das unidades hoteleiras de 3, 4 e 5 estrelas da cidade de Lisboa, verifica-se um crescimento na taxa de ocupação, comparativamente a igual período no ano passado, situando-se nos 89,70%. Os hotéis de 3 e de 4 estrelas posicionaram-se acima dos 90%, em termos de ocupação, atingindo os 94,87% e os 91,14%, respetivamente. Já os hotéis de 5 estrelas revelaram uma taxa de ocupação de 83,18%, tendo sido, contudo, a tipologia cuja ocupação mais cresceu, face a maio de 2018 (2,6%).

O cenário é diferente quando se trata do Preço Médio por Quarto Vendido (Average), que apenas cresceu nas unidades de 4 estrelas (1,5%), atingindo os 112,18 euros. Neste parâmetro, os hotéis de 5 estrelas mostraram uma redução de 1,3%, situando-se nos 196,77 euros, e os de 3 estrelas de 4,3%, ficando nos 93,23 euros. No Preço Médio por Quarto Disponível (RevPar), verificaram-se ligeiros aumentos nas unidades de 4 e de 5 estrelas, e uma diminuição nas unidades de 3 estrelas.

Região de Lisboa: Curva da ocupação volta a subir

A ocupação por quarto apresentada pelas unidades hoteleiras da Região de Lisboa, em maio, apresentou percentagens superiores face às obtidas no período homólogo de 2018. Em destaque estão os hotéis de 3 estrelas que apresentaram maior taxa de ocupação (94,42%), mas também maior crescimento (3,9%). Relativamente aos hotéis de 4 estrelas, foi registada uma ocupação próxima dos 90%, enquanto nos de 5 estrelas a ocupação se aproximou dos 80%, estando ambos os resultados em linha com os obtidos no ano passado.

Ao entrar nos preços praticados, verifica-se que o Average – Preço por Quarto Vendido – aumentou, de forma ligeira, nas unidades de 4 e de 5 estrelas, chegando aos 102,20 e 198,76 euros, respetivamente; enquanto as de 3 estrelas mostram uma quebra de 1,8%, ficando nos 88,85 euros. No que diz respeito ao RevPar – Preço Médio Por Quarto Vendido – verifica-se que houve aumentos em todas as tipologias analisadas.

Golfe: Green fee e receita total mais elevadas

Os resultados por volta obtidos nos campos de golfe da Região de Lisboa, em maio, mostram que houve um crescimento da Green Fee e da Receita Total, face ao período homólogo de 2018. No caso da GreenFee, foi registado um aumento de 26,3%, passando de 17,22 para 21,74 euros. Já na receita total por volta, verifica-se um crescimento de 17,9%, que corresponde à passagem de 30,53 euros, em maio do ano passado, para 36,00 euros, no quinto mês de 2019.

Numa análise ao número de voltas diárias, conclui-se que foi registada uma ligeira subida nas realizadas por sócios (1,3%), enquanto as realizadas por não-sócios decresceram 10,1%. No total, foram realizadas, em média, 72 voltas por dia, menos 5,7% que no mesmo período do ano passado (76,3 voltas). Numa análise por nacionalidades, os dados estatísticos revelam que os portugueses continuam representados em maior número (30,8%), seguidos dos escandinavos (22,2%) e dos britânicos (17,0%).

Cruzeiros: Passageiros e navios continuam a crescer

Os dados referentes ao tráfego do Porto de Lisboa reafirmam a tendência de crescimento que se tem vindo a verificar, tendo sido registados aumentos em todos os indicadores, durante o mês de maio. Em termos de navios, houve uma variação positiva de 17,4%, que se traduz num aumento de oito navios, atingindo os 54.

No que concerne aos passageiros, o número total ascendeu a 85.700, refletindo um crescimento de 15,7% face a maio de 2018. Foram os passageiros em turnaround que mostraram maior aumento (35,8%), passando de 5.075 para 6.891. Já o número de passageiros em trânsito subiu 14,2%, chegando a 78.809. Ao analisar o acumulado anual, verifica-se que, em 2019, tanto os navios como os passageiros são superiores aos observados nos primeiros cinco meses do ano passado.

Índice por região: Preços por quarto e ocupação com valores positivos

No mês de maio, a cidade e a Região de Lisboa apresentaram Índices de Ocupação, Avarage e RevPar superiores aos exibidos em abril. Na cidade, o Índice de Ocupação situou-se nos 1300 e, na Região, foi de 1331, valores que ultrapassam dos 1298 e 1329, respetivamente, obtidos no mês anterior. Quanto ao Average (Preço Médio por Quarto Vendido) manteve-se nos 1538, na cidade, e passou de 1526 para 1527, na Região. Já no RevPar (Preço Médio por Quarto Disponível), na cidade de Lisboa, aumentou de 1995 para 1998, e na Região, subiu de 2028 para 2032.