Ocupação da hotelaria portuguesa cresce 4,96% em Maio

Categoria Home

A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) divulgou os dados de Maio do Tourism Monitor que dão conta de um crescimento na taxa de ocupação por quarto de 4,96 p.p., fixando-se nos 73,14%. O RevPar (preço médio por quarto disponível) fixou-se em 53,51 euros e o TrevPar (receita total por quarto disponível) foi de 78,78 euros, representando um aumento, face ao mesmo mês do ano anterior, de 21,84% e 20,51% respectivamente.“No acumulado, registamos desde o início do ano um crescimento na taxa de ocupação de 3,59 p.p., o mesmo acontece com o preço médio por quarto ocupado que cresceu 5,13% e com o RevPar que cresceu 12,64%, em comparação com o mesmo período do ano anterior. No entanto, não podemos deixar de referir que, apesar do crescimento, os valores do RevPar e do preço médio por quarto ocupado continuam muito baixos e ficam aquém dos resultados desejáveis. O RevPar – rendimento por quarto disponível – em Portugal fixou-se nos 33,69€. Por outro lado, a estadia média continua a diminuir (menos 3,21% face ao verificado no período homólogo) ”, afirma Cristina Siza Vieira, presidente da direcção executiva da Associação da Hotelaria de Portugal. A responsável refere ainda que “a taxa de ocupação, mesmo com o crescimento que se regista, ficou nos 53,9%. Isto é, de Janeiro a Maio quase 50% dos quartos na hotelaria em Portugal estão vazios”.Os dados do AHP Tourism Monitor, revelam também que os destinos que apresentaram um maior crescimento na taxa de ocupação foram Oeste (mais 19,35 p.p.), Estoril/Sintra (mais 10,48 p.p.) e Costa Azul (mais 9,76 p.p.). No entanto, e segundo a AHP, os bons resultados do mês de Maio deveram-se em grande parte aos eventos nacionais e internacionais que se realizaram em Portugal, principalmente em Lisboa.“Maio é, por si só, um mês forte para a hotelaria e para o turismo em Lisboa. Este ano tivemos um extra com a realização de eventos como a final da Champions League e o Rock in Rio, e que se reflectiu nos principais indicadores”, conclui a responsável.