OMT: As prioridades para recuperar o turismo

OMT: As prioridades para recuperar o turismo

Categoria Advisor, Internacional

A Organização Mundial do Turismo (OMT) preparou um documento, com a ajuda dos membros do Comité de Crise do Turismo, que divulga as principais diretrizes para retomar o setor do turismo.

1. Proporcionar liquidez e proteger emprego
• Criar programas de apoio ao turismo para as PMEs, empresários e trabalhadores independentes.
• Dar exceções, reduções ou/e adiamentos de pagamentos fiscais & segurança social bem como de faturas críticas para as empresas, os trabalhadores independentes e os trabalhadores (especialmente os mais vulneráveis).
• Criar instrumentos financeiros para facilitar a liquidez (moratórias sobre pagamentos de empréstimos, garantias de empréstimos ou empréstimos de crédito flexível para o capital de giro).
• Rever políticas de cancelamento tendo em conta os direitos dos consumidores e a urgência de liquidez para as empresas.
• Expandir e prolongar benefícios sociais (desemprego, subsídios para quem procura trabalho).
• Apoiar os trabalhadores e quem procura trabalho a fazerem a transição para novos empregos na nova normalidade.
• Garantir o diálogo entre empresas e sindicatos de trabalhadores.

2. Recuperar a Confiança através da Segurança
• Criar protocolos de segurança e higiene para reduzir riscos em toda a cadeia de valor do turismo e em cada passo da viagem do turista.
• Oferecer informação clara aos turistas sobre as medidas existentes nos destinos e empresas.
• Prestar informação clara aos turistas sobre o que devem esperar (direitos e garantias se adoecerem enquanto viajam ou no destino).
• Concentrar na comunicação humana – empatia, tranquilidade e interligação.
• Criar campanhas de comunicação orientadas para aumentar a confiança, incluindo as medidas de segurança adotadas pelos destinos e empresas.

3. Colaboração público-privada para uma reabertura eficiente
• Estabelecer mecanismos de colaboração público-privada na definição e implementação dos protocolos relacionados com a saúde.
• Criar protocolos viáveis e adequados em coordenação total com o setor privado e as autoridades de saúde para garantir que são executáveis e baseados em evidências científicas.
• Partilhar conhecimento e boas práticas.
• Criar mecanismos de apoio à adaptação das empresas, destinos e treino do seu pessoal.
• Investir em melhores sistemas partilhados de informação.

4. Abrir as fronteiras com responsabilidade
• Introduzir e adaptar processos & procedimentos de fronteiras viáveis.
• Rever regularmente as restrições & protocolos de viagens para garantir que são adequados à avaliação de risco de saúde pública.
• Melhorar o uso de tecnologia para viagens seguras, consistentes e sem contacto.
• Proporcionar informação confiável, consistente e de fácil acesso sobre as restrições & protocolos de viagens ao setor privados e turistas.
• Definir funções & responsabilidades para governos, setor privado & turistas.
• Bloqueios regionais & governamentais a simplificação de viagens na direção de vistos eletrónicos ou vistos à chegada/ ausência de políticas de vistos e remover os custos dos vistos temporariamente para estimular a procura.

5. Harmonizar & Coordenar protocolos & procedimentos
• Harmonizar os protocolos e procedimentos de saúde relacionados com viagens e turismo a um nível global.
• Garantir coordenação regional e internacional na reabertura das fronteiras.
• Implementar Práticas Recomendadas e Standards Internacionais da ICAO e Especificações sobre documentos de viagens para garantir a harmonização e interfuncionalidade para troca de informações sobre passageiros, incluindo a criação de uma Formulário de Saúde Pública do Passageiro.
• Garantir a coordenação de políticas comuns entre as autoridades de turismo, saúde, interior e transportes.
• Criar apps de rastreio de turistas e trabalhat no sentido da sia interoperabilidade internacional.

6. Empregos adicionais através das novas tecnologias
• Adotar políticas nacionais que apoiem a transformação digital de destinos, empresas, empregados e pessoas que procurem trabalho.
• Apoiar as empresas a acelerar a transformação digital.
• Adotar novos perfis: cibersegurança, análise de dados, data scientists.
• Apoiar quem procura emprego com novas competências: novos produtos, marketing, conhecimento do mercado.
• Proporcionar mais e melhor formação e implementar formação online para aumentar as competências do pessoa a nível de prestação de serviço, back office, tecnologias, línguas, medidas de segurança.
• Proporcionar formação inline gratuita para os mais afetados, em parceria com universidades, empresas tecnológicas e outras instituições educativas.
• Promover formação online gratuita tal como a Academia Online da OMT e apoiar o desenvolvimento e comercialização de cursos em várias línguas.

7. Inovação e Sustentabilidade são o novo normal
• Consolidar o ecossistema de inovação nacional e global.
• Incentivar oportunidades para as grandes empresas trabalharem com startups em tornar os novos processos mais fáceis e de rápida implementação e mais eficientes.
• Promover desafios nacionais para incentivar e premiar startups e empreendedores a proporem soluções inovadoras.
• Inovar em modelos empresariais, comunicações e experiências.
• Investir na transformação digital para um melhor planeamento & gestão dos destinos.
• Acelerar a transição para uma economia circular na cadeia de valor do turismo.
• Transitar para um turismo mais eficiente a nível de recursos e com uma reduzida pegada ambiental paramitigar a Crise Climática.
• Definir a capacidade de transporte & e gestão de destinos eficaz: construir um setor do turismo mais sustentável e responsável de valor acrescentado baseado em sistemas de análise e monitorização.