Opinião: “O Enoturismo online e os desafios de recrutamento em 2020”

Opinião: “O Enoturismo online e os desafios de recrutamento em 2020”

Categoria Advisor, Opinião

Por Marisa Sena Leitão, Digital Marketing Manager na Wine Tourism in Portugal

Portugal tem vindo a receber reconhecimentos internacionais o que o posiciona como um destino cada vez mais apetecível na área turística.

E estará Portugal preparado em termos de recursos humanos para receber esta vaga cada vez mais constante?

Recentemente tive o gosto de participar numa conferência em que o foco era o debate sobre o futuro do Enoturismo em Portugal. O posicionamento nacional e internacional, e adoção de diversas características de comunicação e storytelling muito importados dos modelos da publicidade. Outra das questões prementes e que é o foco desta minha partilha, é a necessidade de manter este turismo satisfeito e sustentável, pela capacidade dos recursos humanos.

O desafio do recrutamento e retenção de capital humano qualificado, numa área tantas vezes entendida como sazonal e de alta rotatividade, é enorme.

A “área de turismo é feita de pessoas para pessoas” cliché que tantas vezes vemos aplicado às mais diversas situações, mensagem tão simples que precisamos recordar sempre que possível. Também são as pessoas que movem as empresas, que as fazem todos os dias.

Será este o cerne da questão, recursos humanos. Apesar de me afastar aqui da reflexão sobre o trabalho in loco, nas quintas, sobre o qual os nossos parceiros falarão com toda a propriedade a minha reflexão assenta no recrutamento de pessoas qualificadas para a área de turismo e se quisermos ser ambiciosos, para a área de Enoturismo em contexto de agência.

Será necessária uma abordagem concertada e menos conservadora para munir o turismo de recursos humanos suficientes e capazes de reforçar o posicionamento de Portugal como um dos destinos turísticos relevantes e competitivos, tal como se tem vindo a afirmar. Esta questão precisa ser encarada por diferentes prismas, a qualificação das pessoas, é um deles. E na minha realidade atual o mais premente.

O recrutamento e retenção de pessoas, de talentos, é uma missão fulcral para o sucesso de qualquer empresa. As empresas são construídas por quem todos os dias as vive. Acredito que todos entendemos e sentimos os desafios de recrutar em 2019. Principalmente numa área como o turismo que está associado a uma elevada rotatividade de profissionais.

Trabalhamos com turismo vínico para clientes internacionais, estamos situados numa grande zona urbana, na realidade em plena cidade do Porto, a questão de uma geografia distante não se coloca, bem como não se aplica qualquer sazonalidade uma vez que a área de ação online não tem barreiras. A capacidade de recrutar elementos qualificados, de forma a crescer a equipa dando reposta às necessidades crescentes de negócio, tem-se revelado um enorme desafio. Por vezes por algumas lacunas em aspetos que tenho como básicos na atuação turística, como o domínio de segundo idioma.

O que é mais trabalhoso, o recrutamento de volume ou o recrutamento de pessoas altamente qualificadas? Cada um com os seus desafios e tendo experiência em ambos, refiro agora em particular, a realidade mais recente.

Hard skills, soft skills, expectativas de carreira e de remuneração e o cultural fit, um elemento ainda muito recente na cultura de recrutamento em Portugal e que faz toda a diferença na retenção de recursos humanos e produtividade de uma empresa.

Cabe às empresas trabalhar o seu posicionamento, comunicação, e o inglesismo que está cada vez mais presente: Employer branding. Cabe às escolas o desenvolvimento de planos de estudo capazes de dar resposta efetiva às necessidades do mercado. E numa área com cada vez mais procura, e em que cada vez mais alunos optam por escolas profissionais, é também aí que os esforços precisam ser concentrados e as lacunas aferidas de forma a que, não só o turismo em Portugal saia valorizado, mas a economia num todo.

Quem é Marisa Sena Leitão?
Formada em comunicação, experimentou a engenharia, apaixonou-se pelo Marketing Digital e fez disso profissão em 2009. Passou por agências de publicidade, empresas de software e fez consultoria na área de Employer Branding para empresas multinacionais. Atualmente a exerce funções como Digital Marketing Manager na Wine Tourism in Portugal.