Opinião: “O impacto da transformação tecnológica no mundo pós-Covid19”

Opinião: “O impacto da transformação tecnológica no mundo pós-Covid19”

Categoria Advisor, Opinião

Por Nuno Ribeiro, Co-CEO da Ubiwhere

Durante os próximos tempos será feito um levantamento progressivo das medidas mais restritivas e as pessoas tenderão a retomar às suas rotinas da sua vida normal. No entanto, no que diz respeito a setores como a hotelaria ou os eventos, será que é seguro ficar acomodado num hotel, ou marcar presença num evento? Nessa medida torna-se premente trabalhar a mensagem de confiança e segurança a transmitir ao consumidor e concentrar os esforços na redução dos receios e medos que as pessoas demonstram em viajar e usufruir de todos os produtos e serviços. Nessa perspetiva, poderá ser esta a oportunidade de otimizar alguns processos pela via tecnológica e da transformação digital.

Este paradigma vai permitir assistir a uma atualização mais ampla da infraestrutura tecnológica, como é o exemplo dos aeroportos, que se conseguiram adaptar de modo a fornecer a vigilância de alguns aspectos de saúde, como a temperatura corporal e outros.

O futuro tem de ser, desde já trabalhado e a tecnologia pode e deve ajudar a ultrapassar este período conturbado. Numa primeira instância, poderá passar pela implementação de infraestruturas para monitorizar os locais de maior afluência de pessoas, seja através de sensores, videovigilância ou câmaras térmicas. No entanto, também é necessário pensar-se em formas de evitar a concentração de pessoas em filas, considerando a própria capacidade dos espaços. A compra de bilhetes online deve acautelar a restrição do número de visitantes a entrar por timeslot bem como, por exemplo, o tempo máximo em que poderão permanecer num determinado local, aqui a digitalização dos próprios bilhetes ou vouchers apresenta-se como uma excelente ferramenta de redução do contacto físico.

No que diz respeito à organização de eventos, onde é expectável a adesão em massa de pessoas, a implementação de ferramentas tecnológicas para o planeamento, monitorização e ativação de medidas de emergência, são fundamentais.

Quanto à hotelaria, existe um conjunto de medidas que podem aumentar a confiança e a segurança dos turistas, sejam estes nacionais ou internacionais. A sugestão pode passar pelo check-in automático, evitando assim as filas para aceder aos quartos e ainda a implementação de assistentes virtuais para ajudar a melhorar a interação e a experiência do visitante, estas ferramentas podem definitivamente fazer a diferença, servindo de apoio e corroborando o posicionamento de Portugal como um destino “Clean & Safe”.