Opinião: “Os desafios da operação turística”

Opinião: “Os desafios da operação turística”

Categoria Advisor, Opinião

Por Daniel Marchante, diretor executivo Lusanova

O grande desafio do turismo nacional são os recursos humanos? Quais devem ser as prioridades e em que valências, neste capítulo, a nível nacional.

O setor do Turismo enfrenta vários desafios, a nível mundial. Cabe-nos a todos encará-los precisamente como tal, munindo-nos das ferramentas e estratégias essenciais para podermos evoluir e acompanhar estes tempos de mudança.

Os recursos humanos são hoje encarados como um dos grandes desafios do turismo nacional. Torna-se evidente que o investimento na formação dos recursos humanos é hoje parte fundamental da cultura organizacional da nossa empresa, com atração e retenção de talentos voltados à inovação do negócio, e na criatividade de produtos para o segmento de viagens em grupo e pacotes para individuais. A qualificação e a adequação dos recursos humanos são fundamentais neste contexto onde o digital tem de ser um desafio e não uma ameaça.

Mas este não é o único desafio. Sabemos, por exemplo, que existe um movimento mundial por parte dos principais destinos turísticos de renome tentando travar as multidões, ou o turismo em excesso. Por exemplo, Veneza anunciou planos para cobrar uma taxa pela entrada. Bruges limitou o número de navios de cruzeiro a dois por dia. E Paris declarou intenções de proibir os autocarros turísticos no centro da cidade.

No entanto, consideramos que não se pode evitar que os turistas queiram visitar os lugares com maiores atrações. Não acreditamos que terá êxito a estratégia de marketing usada pelos destinos menos visitados, com slogans que dizem, por exemplo: “visite-nos, não temos multidões”, ou “visite-nos, não precisa de estar na fila para ter likes no Instagram”.

Por fim, não poderia deixar de abordar a questão do digital. A tecnologia mudou totalmente a experiência de viajar. A transformação digital no turismo é um processo que se iniciou antes de muitas outras indústrias e ainda está acontecer, com novas tecnologias e comportamentos que obrigam as empresas da área a adaptarem-se constantemente.

No nosso caso, não somos exceção e, desde o início de 2019 que dispomos de um site dinâmico onde o agente de viagens pode realizar as suas reservas online, bem como solicitar cotação para grupos ou viagens à medida. No entanto, acreditamos que mais do que a disponibilização de cada vez mais produtos online, a nossa maior valia está na nossa capacidade de resposta, seja ela online ou offline.

Nesse sentido, a Lusanova investe na formação dos seus colaboradores, quer ao nível das novas tecnologias, quer ao nível do conhecimento dos nossos destinos, permitindo garantir uma capacidade de resposta mínima através de vários canais de venda, sejam eles online ou offline.

Este artigo foi publicado na edição 327 da Ambitur.