Os 5 princípios da IATA para a retoma da indústria

Os 5 princípios da IATA para a retoma da indústria

Categoria Advisor, Associativismo

A IATA anunciou um compromisso dos CEOs que constam do seu Conselho de Governadores para com cinco princípios para voltar a ligar o mundo através do transporte aéreo. São eles:

1. A aviação irá sempre colocar a segurança em primeiro lugar: as companhias aéreas comprometem-se a trabalhar com os seus parceiros nos governos, instituições e em toda a indústria no sentido de:
– Implementar um regime de biosegurança de base científica que mantenha os passageiros e tripulação seguros e permita operações eficientes.
– Certificar-se de que a aviação não é uma fonte relevante de propagação de doenças contagiosas, incluíndo a Covid-19.

2. A aviação irá responder com flexibilidade à medida que a crise e a ciência evoluem: as companhias aéreas comprometem-se a trabalhar com os seus parceiros governamentais, instituições e em toda a indústria no sentido de:
– Utilizar nova tecnologia e ciência à medida que ficam disponíveis, por exemplo, soluções eficazes, fiáveis e ajustáves para testar a Covid-19 e passaportes de imunidade.
– Desenvolver uma abordagem eficaz e previsível para gerir quaisquer encerramentos futuros de fronteiras ou restrições de movimento.
– Garantir que as medidas são científica e economicamente sustentadas, operacionalmente viáveis, continuamente revistas e removidas/substituídas quando já não forem necessárias.

3. A aviação será um fator-chave para a recuperação económica: as companhias aéreas comprometem-se a trabalhar com os seus parceiros governamentais, instituições e em toda a indústria no sentido de:
– Reestabelecer capacidade que vá de encontro à procura da recuperação económica o mais rapidamente possível.
– Garantir que o transporte aéreo disponível seja acessível economicamente no período pós-pandemia.

4. A aviação vai cumprir os seus alvos ambientais: as companhias aéreas comprometem-se a trabalhar com os seus parceiros governamentais, instituições e em toda a indústria no sentido de:
– Atingir a meta de longo prazo de reduzir as emissões de carbono a metade dos níveis de 2005 até 2050.
– Implementar com sucesso o Esquema de redução de emissões da Aviação Civil Internacional.

5. A aviação vai operar de acordo com padrões globais que são harmonizadas e reconhecidos mutuamente pelos governos: as companhias aéreas comprometem-se a trabalhar com os seus parceiros governamentais, instituições e em toda a indústria no sentido de:
– Estabelecer os padrões globais necessários para um reinício eficaz da aviação, especialmente com base em parcerias fortes com a Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) e a Organização Mundial de Saúde (OMS).
– Garantir que as medidas acordadas são implementadas com eficácia e mutuamente reconhecidas pelos governos.

“Reinicar o transporte aéreo é importante. Mesmo com a continuação da pandemia, as bases para uma retoma da indústria estão a ser construídas através de uma colaboração próxima da indústria de transporte aéreo com a ICAO, a OMS, os governos individuais e outras partes. MAs ainda há muito trabalho por fazer. Comprometendo-se com estes princípios, os líderes das companhias aéreas mundiais vão orientar o recomeço seguro, responsável e sustentável do nosso setor económico vital. Voar é o que fazemos. E é a liberdade partilhada de todos”, afirma Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.