Portugal defende liberdade de circulação no espaço Schengen e coordenação no reinício da atividade

Portugal defende liberdade de circulação no espaço Schengen e coordenação no reinício da atividade

Categoria Advisor, Política

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, esteve ontem reunida com os responsáveis de Turismo da União Europeia (UE), por videoconferência, fazendo questão de sublinhar a necessidade urgente de o apoio financeiro da UE avançar, e que os Estados Membros assegurem as adequadas medidas a nível de segurança e higiene, que instigam confiança no destino, assim como garantir formação aos trabalhadores.

“Se a Europa quer aproveitar esta oportunidade para acelerar o Pacto Ecológico Europeu (European Green Deal) e a Agenda Digital para se consolidar como líder mundial em turismo, é de extrema importância que este pacote financeiro seja divulgado para que as empresas europeias possam começar a trabalhar nesse sentido. Simultaneamente, a futura estratégia da UE para o turismo para 2050 deve ter os correspondentes instrumentos e ambição de financiamento”, disse a responsável pela pasta do Turismo em Portugal.

Em resposta, o Comissário Europeu para o Mercado Interno deu nota de que, durante a próxima semana será conhecido o Plano de Recuperação Económica para a Europa.

Ainda no decorrer da reunião, Portugal afirmou que deve ser respeitada a liberdade de circulação no espaço Schengen e que a Comissão Europeia deve coordenar o reinício da atividade turística.

“Deve ser lançada uma plataforma da União Europeia que agregue toda a informação dos Estados-Membros para ser disponibilizada a todos os cidadãos europeus que desejem passar férias no espaço comunitário. Temos a certeza de que as autoridades nacionais vão trabalhar, em estreita colaboração, com a Comissão Europeia neste projeto”, acrescentou a governante, que destacou ainda a importância de a Comissão Europeia lançar campanhas para impulsionar o turismo nos Estados-Membros.

Rita Marques teve ainda oportunidade para se congratular pelo facto de o Pacote de medidas da UE para o Turismo e Transportes ter garantido coordenação e procedimentos idênticos no seio do Mercado Interno, num processo que tem por base critérios epidemiológicos.