“Portugal enquanto destino turístico vive uma atmosfera de fim de ciclo”

“Portugal enquanto destino turístico vive uma atmosfera de fim de ciclo”

Para a Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo – APAVT são 10 os fatores que condicionam o futuro do turismo em Portugal. Durante a cerimónia de abertura do 44º Congresso Nacional da APAVT, que decorre em Ponta Delgada até 25 de novembro, Pedro Costa Ferreira, presidente da entidade, considera que “se olharmos para Portugal enquanto destino turístico, a verdade é que um conjunto de forças motrizes, tão fundamentais na construção do anterior ciclo de crescimento, estão hoje a perder gás”. Considera então o responsável que “Portugal enquanto destino turístico vive uma atmosfera de fim de ciclo” e os fatores são: o congestionamento do aeroporto de Lisboa, a quota de mercado atingida pelas low cost em Portugal, o alojamento local, o crescimento dos principais destinos da bacia do Mediterrâneo, o Brexit, a nova política protecionista dos EUA, quebras de qualidade do serviço hoteleiro, os constrangimentos da operação turística em Lisboa, dificuldade de diálogo entre a autarquia de Lisboa e agentes turísticos e desajustamento do enquadramento em sede de IVA da atividade da “Meeting Industry” nacional.

“Em cima” destes fatores, destaca ainda o responsável que “alguns erros de gestão e algumas decisões políticas poderão agravar ou apressar o final de ciclo”.

No entanto, o presidente da APAVT elogia a tutela do setor, indicando que “é um exemplo de integração com a iniciativa privada. A promoção do Turismo de Portugal tem tido uma atuação pioneira, na direção certa, inequivocamente com bom gosto e foco”. Por isso, o responsável mostra-se confiante que estejamos a assistir ao “início de um novo ciclo que seja de consolidação em lugar de decrescimento”.

Fotos 1º Dia Congresso APAVT 

Pedro Chenrim, em Ponta Delgada, no 44º Congresso Nacional da APAVT