Portugal quer conquistar os brasileiros pela boca…mas não só

Categoria Advisor, Home, Política

Contando com um novo stand promocional sob o mote “Visit Portugal. And Share it”, o Turismo de Portugal focou a sua participação nesta feira da ABAV, que decorre até Domingo, em São Paulo, na promoção do produto “gastronomia e vinhos”. Sendo o& Brasil já o 7.º mercado de procura externa para o nosso país, é importante que o sector do turismo consiga cativar cada vez mais este povo que, em 2013 gerou 404,4 milhões de euros de receitas, 1,2 milhões de dormidas e 528 mil hóspedes em Portugal. É pela boca que vamos conquistar os brasileiros?&“Não só, mas também. A boca é importante e é uma maneira de combatermos França que é o nosso principal concorrente no mercado brasileiro que é muito atractiva pela sofisticação. Nós hoje em dia já temos uma Avenida da Liberdade que está cada vez mais recheada de lojas que atraem também este tipo de cliente e a parte da gastronomia vista de uma maneira mais gourmet é& também bastante importante”, afirmou ao Ambitur.pt, Miguel Cymbron, director de vendas e merketing do grupo VIP Hotels.& Para José Branco, director-geral do Hotel Cascais Miragem, no qual o mercado brasileiro está& a crescer, representando já 10% da facturação total do hotel, “as pessoas conquistam-se pelas experiências e pelas emoções”.& “Numa emoção e numa experiência, a gastronomia ou a enogastronomia é um factor muito importante, além da língua claro”, afirmou.& Já Juan Carlos Gonçalves, técnico de promoção turística da direcção regional de turismo da Madeira,& considera que Portugal deverá atrair os brasileiros não só pela boca, mas também pelas nossas tradições e costumes. “São países irmãos, estamos ligados pela história e a gastronomia faz parte disso, obviamente”, asseverou.& Na região do Porto e Norte de Portugal, este é um produto determinante. Segundo Andrea Ferreira, product manager do Turismo do Porto e Norte de Portugal, os brasileiros procuram muito “o famoso bacalhau” e os “vinhos” quando visitam a região.& Vitor Costa, presidente da Entidade Regional de Turismo de Lisboa, região onde o mercado brasileiro é já o segundo mercado de dormidas com cerca de 800 mil dormidas, e que tem vindo a crescer “nos últimos anos uma média de 19% ao ano”, é da opinião de que “a gastronomia e os vinhos são qualificadores da oferta para os vários produtos da nossa região. No mercado brasileiro, (de destacar também )o turismo religioso, embora o principal atractivo não esteja na nossa região, mas a entrada e a operação turistica faz-se em conjugação com Lisboa”.& Já Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro, entende “que temos que ir mais além”. “Temos que fazer, em primeira instância, reforçando alguns dos produtos que nós sabemos, por conhecimento próprio e por aquilo que é a nossa experiência acumulada que os brasileiros procuram muito:& o turismo religioso, Fátima tem aqui uma importância crucial; e naturalmente que uma aposta no cruzamento da industria que nós conhecemos e sabemos que tem hoje uma ligação muito forte ao Brasil, estou-me a referir ao caso dos vinhos, do calçado, em que uma aposta permanente na promoção da marca Portugal no destino Brasil devem e podem ser concertados com o turismo”.Veja as imagens da ABAV 2014 em Ambitur Profissionais.Por Raquel Pedrosa Loureiro, em São Paulo, a convite da TAP