Portuguese Trails conquista novos trilhos para o Centro de Portugal

Portuguese Trails conquista novos trilhos para o Centro de Portugal

“Um país de caminhos alternativos que nos levam a descobrir a nossa história, o presente e o futuro”. É este o objetivo que justifica o investimento de 4,2 milhões de euros do Governo, através da Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior, do Programa Valorizar, em quatro novos percursos pedestres e cicláveis no Centro de Portugal – a Ecopista do Vouga, a Ecovia do Mondego, o Eurovelo 1 – Rota da Costa Atlântica e o projeto Excelência em Cicloturismo da inGamba. Quem o diz é a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, que falava na assinatura dos contratos relativos aos novos projetos no âmbito da plataforma Portuguese Trails, nesta quarta-feira, em Santa Comba Dão.

Durante a cerimónia, a secretária de Estado do Turismo considerou a assinatura destes projetos “um momento histórico para a afirmação do Centro de Portugal” como de todo o país. Ana Mendes Godinho afirmou ainda ser seu objetivo “chegar a todo o país”, frisando o sucesso do Programa Valorizar que totaliza 303 projetos aprovados – num investimento de 70 milhões de euros e 49 milhões de euros de incentivo -, e que vem reafirmar uma “discriminação positiva dos territórios de baixa densidade”.

Também presente, o ministro da Economia aproveitou para lembrar os dois pilares fundamentais da estratégia definida pelo Governo para o setor do turismo: alargar a atividade turística ao longo do ano e promover o turismo na região Centro. Para Manuel Caldeira Cabral, estes projetos desafiam os turistas a ir mais longe e “permitem concretizar o turismo de natureza”, sobretudo após os incêndios de junho e outubro de 2017. O ministro nota ainda que os millennials não se interessam tanto pelo turismo de luxo, optando cada vez mais pelo “luxo supremo de encontrar o natural”.

Após a assinatura dos contratos, os ministros seguiram numa visita guiada de bicicleta a um troço da Ecopista do Dão, a partir da antiga estação ferroviária de Treixedo.

A Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior reúne 140 projetos aprovados, que mobilizam 50 milhões de euros de investimento e 34 milhões de euros de incentivo. Até ao momento, o Portuguese Trails conta com 12 mil quilómetros de percursos, cerca de nove mil cicláveis e três mil pedestres.

Criação da Ecopista do Vouga

O projeto consiste na conversão da antiga linha ferroviária do Vale do Vouga numa Ecopista, com uma extensão de 58,6 quilómetros, que passa por Viseu (14,2 km), São Pedro do Sul (9 km), Vouzela (8,8 km) até Oliveira de Frandes (26,6 km).

Investimento: 3,371 milhões de euros.

Criação da Ecovia do Mondego

A Ecovia do Mondego, com uma extensão de 39,9 quilómetros, pretende efetuar a ligação da Ecopista do Dão à Ciclovia EuroVelo1, no concelho da Figueira da Foz, permitindo a criação futura de um traçado em circuito fechado que liga a Figueira da Foz, Viseu e Aveiro. Os 3 troços da Ecovia têm uma extensão de 39,90 quilómetros e passam por Santa Comba Dão (9,3 km), Mortágua (4,5 km) e Penacova (26,1 km).

Investimento: 974 mil euros.

Criação da Ecovia EuroVelo 1 — Rota da Costa Atlântica

A Ecovia EuroVelo 1 — Rota da Costa Atlântica tem uma extensão de 79 quilómetros e passa pela Figueira da Foz (53 km), Mira (18 km) e Catanhede (8 km). Este projeto diz respeito a duas secções da EuroVelo1, que em Portugal tem uma extensão ciclável de 920 quilómetros em zona litoral, e que integra a Rede Europeia de Ciclovias, que integra 15 rotas cicláveis de longa distância que cruzam o continente europeu.

Investimento: 1,4 milhões de euros.

Apoio à inGAMBA Portugal — A Excelência em Cicloturismo

inGAMBA é uma agência de cicloturismo internacional — fundada na Califórnia por João Correia — que pretende reforçar a oferta de Cycling Holidays – Trips em Portugal e valorizar os territórios portugueses de baixa densidade. Para já, o projeto conta com quatro trilhos: Trilho Vila Pouca de Aguiar-Terreiro (Vila Pouca de Aguiar, Norte), Trilho Tortosendo-Armamar (Covilhã, Centro), Trilho Sertã-Cercal (Santiago do Cacém, Alentejo) e Trilho Cercal-Monchique- Aljustrel (Monchique, Algarve).