Preços aumentam mais de 30% no Algarve em Julho

Preços aumentam mais de 30% no Algarve em Julho

Os dados do trivago Hotel Price Index, hoje divulgados, indicam que, em Julho, o preço médio na hotelaria nacional ascende os 115€ por quarto duplo, quando no mesmo período do ano passado o custo ponderado era de 109€ (e em 2013 de apenas 99€). Já em comparação com o último mês o destaque vai para a região algarvia que vê os seus preços aumentar 34,48%.

De acordo com o último estudo do motor de busca trivago, o Norte (+19,18%) é a região portuguesa que lidera o crescimento face a Julho de 2014: dormir nesta região custava em média 73€ por noite, sendo que o preço médio se fixa agora nos 87€. Com a segunda maior subida de preços encontra-se a Madeira (+13,73%), seguida pelo Algarve (+8,33%), o Centro (+8,33%) e Lisboa (+8,26%), que registam subidas semelhantes, enquanto os Açores (+5,83%) e o Alentejo (+5,68%) são as regiões com menores crescimentos, mas ainda assim acima dos 5%.

Face a Junho deste ano, o Algarve (+34,48%) encontra-se em claro destaque com uma expressiva subida de preços, tornando-se desta forma a região mais cara para pernoitar em Portugal este mês: dormir no sul custa agora em média 156€, contra 116€ no último mês. Albufeira (+41,07%), Figueira da Foz (+38,33%), Lagos (+33,93%), Portimão (+30,38%) e Faro (+28,57) são as cinco localidades que apresentam as maiores subidas: dados que dão conta do interesse dos viajantes nestes destinos para o verão.

Entre as principais localidades, o Porto destaca-se mais uma vez ao registar a maior inflação do custo médio de estadia do país face a 2014: pernoitar na Invicta custa 89€, quando no período homólogo o preço de um quarto duplo se fixava nos 67€. A seguir ao Porto, Vila Nova de Gaia (+30,11%) e Sintra (+20,18%) apresentam as maiores subidas, enquanto, no sentido oposto, estão Estoril (-29,36%) e Setúbal (-6,82%). Cascais (197€), Albufeira (158€), Estoril (154€) e Lagos (150€) são agora as localidades mais caras para pernoitar em Portugal, enquanto Braga (57€) e Fátima (61€) apresentam as médias mais reduzidas do país.