Quinta do Pégo: Uma estadia relaxante no coração do Douro

Quinta do Pégo: Uma estadia relaxante no coração do Douro

Nas encostas das margens do rio Douro, no coração da região do Vinho do Porto, o Hotel Rural Quinta do Pégo está à sua espera para uma estadia “amigável, calorosa e relaxante”. Quem o garante é Filipe Jesus, diretor desta unidade de turismo com vistas privilegiadas sobre o rio e o vale do Douro.

Numa herdade de 33 hectares, dos quais 30 há são área plantada, com solo de classificação A (a mais elevada na região), a Quinta do Pégo é o local ideal para quem procura aliar vinhos e turismo. E diz-nos o responsável que as uvas que aqui crescem são de elevada qualidade, utilizadas para a produção de Portos Vintage e LBV.

O hotel rural foi totalmente restaurado entre 2007 e 2009, sendo atualmente um alojamento moderno de quatro estrelas com 10 quartos. Os hóspedes podem ainda desfrutar da piscina exterior, de uma sala de estar com vista sobre o rio Douro, de um bar, capela e restaurante, sujeito a reserva antecipada. Além disso, não poderia faltar a Loja de Vinhos onde pode não só experimentar os produtos locais (vinhos e azeite) como levá-los para casa no seu regresso.

Na Quinta do Pégo não faltam sugestões de atividades, que vão desde as provas de vinhos a passeios em barco rabelo ou em comboio, visitas a outras quintas da região, passeios de bicicleta pela vinha e visitas a miradouros.

Filipe Jesus volta atrás no tempo e lembra que, de acordo com documentos históricos, a produção de vinho remonta a 1548 e, muito provavelmente, à ocupação romana. Hoje em dia, o Vinho do Porto e os vinhos do Douro, de elevada qualidade, têm sido vendidos um pouco por todo o mundo. “É um «obrigatório visitar» e um «obrigatório provar»”, conclui. Se quer conhecer um pouco mais da história e sabores da Quinta do Pégo, faça as malas e rume a Valença do Douro para uns dias privilegiados neste espaço convidativo.

Contactos: https://www.quintadopego.com/ 254 73 00 70/ 925 016 655/ info@quintadopego.com

Este artigo foi publicado na edição 331 da Ambitur.