#Realidadedasempresas: “O grau elevado de incerteza leva-nos a ser muito mais resilientes”

#Realidadedasempresas: “O grau elevado de incerteza leva-nos a ser muito mais resilientes”

Categoria Alojamento, Business

Numa altura em que muitas empresas, hotéis e restaurantes começam a reabrir ou preparar a reabertura e retoma da atividade, Ambitur.pt quis saber quais os planos que têm para esta “nova normalidade” e quais as maiores dificuldades que terão de enfrentar. Gonçalo Teixeira, administrador do Grupo Vila Baleira Hotels & Resorts, explica que ainda não conseguem prever um timing de abertura e que estão a aguardar que se estabeleça um conjunto de regras a nível dos hotéis e de como proteger clientes e colaboradores, bem como das companhias aéreas. Quanto à faturação, o grupo estima que “em 2022 conseguimos recuperar e entrar novamente num ciclo positivo”.

O gestor reconhece que, no atual momento, “o mais complexo tem sido adaptar-nos a todas as mudanças que têm acontecido”, e explica: “muitas vezes, ao longo das últimas semanas, tomamos uma decisão hoje e passadas 24 horas esta mesma decisão já deixa de ser viável”. O que significa que “este grau elevado de incerteza que existe a todos os níveis leva-nos a sermos muito mais resilientes e procurar sempre várias alternativas para os problemas”.

Gonçalo Teixeira não hesita em frisar que o que tem sucedido é que a maioria das empresas está ainda muito focada nos problemas do dia-a-dia “e já deveríamos estar a planear a estratégia a médio prazo em paralelo com as resoluções diárias”. Isto porque, sublinha, “esta visão a médio prazo vai-nos trazer benefícios no momento do arranque da atividade”.

O grupo está, entretanto, a ultimar um conjunto de planos de ação para todas as áreas dos hotéis que implicam várias alterações, algumas mais operacionais e com um impacto direto na relação e forma de servir o cliente. Por outro lado, “estamos também a preparar alterações associadas à forma como tínhamos traçado o nosso modelo de negócio”, frisa o empresário.