REDUNIQ: “Acreditamos que o uso da tecnologia contactless vai crescer cada vez mais”

REDUNIQ: “Acreditamos que o uso da tecnologia contactless vai crescer cada vez mais”

Categoria Advisor, Entrevistas

A pandemia da Covid-19 afetou várias atividades económicas mas o turismo é, sem dúvida, um dos mais lesados. A Ambitur.pt falou com Tiago Oom, diretor da REDUNIQ, para saber qual o impacto da atual crise ao nível das transações, mais concretamente no que diz respeito ao setor turístico. Leia a entrevista e análise do responsável da marca.

Qual o impacto que a atual crise está a ter ao nível dos pagamentos e transações no setor do turismo?
Esta crise está a ter enormes impactos em todos os setores, sendo o turismo, como um todo, provavelmente o mais afetado.

Só nos primeiros 13 dias de abril, o número de transações totais (não especificamente do turismo) decresceu 51% face ao período homólogo. Analisados os valores totais de faturação com clientes nacionais e estrangeiros, nota-se uma queda da receita proveniente de cartões nacionais de apenas 16% em março face ao período homólogo, e menos 35% quando comparados os períodos de 1 a 13 de abril de 2019 e 2020. Já relativamente a clientes estrangeiro, a descida foi de 49% no mês de março deste ano em comparação com março de 2019, e menos 88% de faturação nos primeiros 13 dias de abril face ao igual intervalo de tempo do ano passado. Isto, como é obvio, tem um direto e brutal impacto na área do turismo. Juntos representaram menos 21,9% de faturação em março e menos 46% nos primeiros dias de abril.

Que medidas está a REDUNIQ a implementar de apoio aos negócios em Portugal?
Para apoiar a atividade comercial dos seus clientes, criámos algumas medida de apoio à digitalização dos negócios.

A primeira, criando uma oferta especial para a adesão ao REDUNIQ @Payments, uma solução que permite aos negócios receber pagamentos seguros através de um simples link. Para receber um pagamento à distância, a empresa apenas tem de ir ao backoffice da REDUNIQ para emitir o link de pagamento da compra ou reserva e enviar ao seu cliente (por e-mail, SMS, WhatsApp, redes sociais, etc.). Depois, o cliente recebe um link que o encaminha para uma página segura da REDUNIQ, na qual faz o pagamento com os seus dados e, após a transação ser concluída, o comerciante recebe uma confirmação de pagamento. Esta solução não tem qualquer custo de adesão ou mensalidade.

Para os negócios que mantém as “portas abertas”, o valor dos pagamentos em contactless sem PIN aumentou de 20€ para 50€, promovendo uma maior segurança num maior número de transações.

Ao nível do contactless, qual a taxa de introdução deste sistema antes da pandemia? É hoje uma solução mais procurada pelos setores da restauração e hotelaria? Quais as vantagens?
O contactless, que a REDUNIQ oferece aos seus clientes já desde 2013, tem vindo a crescer de forma contínua e relativamente constante. No entanto, ao longo do último ano sentimos um crescimento bastante mais acentuado, com um enorme pico nos meses de março e abril. Neste caso, registou não só um crescimento acima dos 100% comparado com os meses homólogos de 2019, como representou já 10% das transações por terminais de pagamento em março e 17% em abril, quando em abril de 2019 esse peso era de apenas 4,61%. Acreditamos que o uso da tecnologia contacless vai crescer cada vez mais, não só pela enorme vantagem nesta altura em termos de riscos de saúde, como pela excelente experiência que proporciona aos consumidores.

O contactless é a forma mais simples, rápida e prática de fazer pagamentos presenciais. Para compras até 50€ basta aproximar o cartão do terminal de pagamentos, para que a transação seja concluída. Este processo é mais simples e seguro para o comerciante e para o cliente, dado que o mesmo não tem de tocar no terminal para efetuar um pagamento. Referimos ainda que todas as transações realizadas num terminal de pagamentos da REDUNIQ seguem todos os critérios de segurança dos sistemas de pagamento internacionais, atuando sobre o standard EMV, vulgarmente designado por chip e PIN. Também as transações realizadas através da tecnologia contactless seguem estes requisitos de segurança.

Em termos de uso desta tecnologia, Portugal estava na cauda da Europa, mas acredito que, pelas razões erradas, mas vamos passar a ter quase todas as transações por este meio.

A rede de aceitação de pagamentos, desenvolvida pela UNICRE, passou por um reposicionamento de marca e agora chama-se REDUNIQ (anteriormente conhecida como Redunicre). Quais os objetivos?
A UNICRE mudou o seu posicionamento corporativo e o das suas marcas, UNIBANCO e REDUNIQ, como forma de destacar a sua base tecnológica e acrescentar valor ao negócio e ao mercado dos pagamentos.

Estando o setor financeiro em total disrupção com o surgimento de variadas soluções inovadoras, que chegam para mudar as regras do jogo e obrigar a uma constante adaptação e a recriar propostas de valor diferenciadoras e relevantes, sendo a UNICRE um dos operadores dessa mudança, percebemos que o deveríamos espelhar na identidade da marca.

No caso da REDUNIQ, sendo a marca líder em Portugal de aceitação de cartões de pagamento, e trabalhando em cocriação com colaboradores, parceiros e clientes estratégicos, foi clara a necessidade de um reposicionamento e de desenvolver uma marca que pudesse ser percebida por clientes de todo o mundo. A REDUNIQ é uma marca 100% nacional, mas preparada para receber clientes de outros pontos do globo.

No e-commerce que preconceitos precisam de ser desconstruídos?
Antes de mais, o preconceito da segurança. Claro que ainda existem situações de fraude, e por isso monitorizamos a fraude com sistemas de deteção altamente avançados e trabalhamos com proximidade com as autoridades competentes, mas se um cliente comprar num site seguro, utilizando métodos de pagamento seguros – todas as transações online da REDUNIQ são feitas com 3D Secure, um método que valida a segurança – terá experiências de compras online de sucesso, e sem risco para os clientes, pois em causa de fraude será o emissor do cartão, o comerciante ou o acquirer a suportar essa fraude.

Acreditamos que, à semelhança da utilização de qualquer tecnologia, a experiência, sendo positiva, será repetida. Esta crise pode ter precipitado a adoção da tecnologia, mas, sendo certamente uma experiência positiva, temos a convicção que irá promover uma aceleração da digitalização dos consumidores e dos negócios.

Qual a relação entre o pagamento de um serviço/ produto e a experiência do consumidor, que muitas vezes é esquecida pelas empresas?
Estudos recentes demonstram que a taxa de carrinhos de compras abandonados nas lojas online é de cerca de 75%, durante o check-out. E, de acordo com a Forbes, o facto de um e-commerce não oferecer várias formas de pagamento – incluindo diferentes tipos de cartão de crédito e débito – é responsável por cerca de 25% dos carrinhos de compras abandonados. Com as soluções de e-commerce da REDUNIQ, os negócios podem aceitar Visa, Visa Electron, Mastercard, Maestro, Multibanco, MB Way e American Express, sempre todas as transações com segurança 3D Secure.

As palavras de ordem são simplicidade e transparência. Os negócios devem informar os seus clientes de quais são os cartões bancários que o seu negócio aceita, e comunicá-los de forma transparente.

Em que patamar estamos nos pagamentos “invisíveis”?
Sendo a simplicidade um dos principais vetores no momento de um pagamento, como referimos acima, é natural que os “pagamentos invisíveis” ganhem cada vez mais protagonismo. Assistimos também a um aumento gradual de confiança neste tipo de pagamentos, especialmente na utilização de equipamentos móveis para compras e pagamentos, pelo que os nossos clientes cada vez mais valorizam a nossa solução de tokenização, que lhes permite armazenar de forma segura os dados do seu cartão para que, em compras futuras, não seja necessário novamente a introdução dos dados – a que podemos chamar de one click shopping.