Reportagem: A tecnologia é um “distintivo” da Newtour na capacitação dos recursos humanos

Reportagem: A tecnologia é um “distintivo” da Newtour na capacitação dos recursos humanos

Categoria Business, Ot's Av's

A Ambitur.pt irá publicar, ao longo das próximas semanas, o resultado de conversas com 25 empresários e profissionais das mais variadas áreas do Turismo, da hotelaria a rent-a-cars, da aviação à distribuição, contando ainda com algumas análises de professores e investigadores. O foco desta reportagem foram os Recursos Humanos, a importância da Formação, a integração das Tecnologias e os desafios que se colocam ao setor. Poderá ler o trabalho na íntegra na edição 328/Março da Ambitur.

O Turismo é hoje a “maior indústria de serviços e o maior gerador de empregos do mundo”, frisa António Rodrigues, diretor financeiro da Newtour, fruto da globalização e do aumento do rendimento disponível. Ainda assim, apesar do seu rápido crescimento, o setor enfrenta diversos desafios entre os quais a captação de talento e a capacitação para a era digital. 

É certo que “as políticas de Recursos Humanos no setor têm evoluído nos últimos anos”, contudo o responsável admite que faltam “desenvolvimentos significativos ao nível das políticas organizacionais”. Segundo o próprio, os jovens encaram os empregos turísticos como “algo que afeta negativamente a vida familiar”, com horários irregulares e baixos salários, e por isso há que permitir um “equilíbrio entre a vida pessoal e profissional”. O Turismo deve oferecer “as condições adequadas para criar longevidade nos recursos humanos do setor”, defende.

O Grupo Newtour procura “estabilidade” na sua equipa, através de mecanismos de progressão de carreira, mas também se mantém atento ao mercado para as várias vertentes da operação. A nível das competências “não são menos importantes as características comportamentais”, declara António Rodrigues, nomeadamente a atitude, capacidade de aprender, competências de comunicação e trabalho em equipa. Outro ponto fulcral é que o candidato faça “match” com o ADN do grupo e da empresa. “Procuramos talentos com o mind set dos dias que o turismo vive atualmente: rápida mutação, exigente capacidade de adaptação, versatilidade e flexibilidade”, acresce.

Além de soft skills, é exigida cada vez mais aos recursos humanos uma “combinação de qualificações diferentes” ou “habilidades específicas de várias qualificações”, originando posições híbridas dentro da empresa.  O diretor financeiro acredita que “profissionais multiqualificados com foco no serviço e no cliente” serão um denominador comum nas futuras profissões do Turismo.

“A tecnologia tem de servir as pessoas capacitando-as de novas competências”

Embora seja o “fator humano que possibilita a transformação de uma viagem numa experiência”, a tecnologia tem sido um “distintivo” da Newtour aplicada ao seu modelo de negócio e utilizada na capacitação dos seus recursos humanos: “No Grupo Newtour, a tecnologia tem de servir as pessoas capacitando-as de novas competências”, realça António Rodrigues.

Na sua opinião “já existe uma maior preparação dos profissionais do turismo” para a era digital,  no entanto os skills “não são meramente tecnológicos” pois “talentos que possuam apenas conhecimentos para a nova era tecnológica projetam nas organizações potenciais de risco”, assume o responsável. O ideal é que haja uma “melhor compreensão das necessidades e desejos do consumidor, onde as ferramentas digitais são somente uma parte ainda que, cada vez mais, importante”, defende.

A tecnologia é também aplicada ao modelo de negócio da Newtour, de forma “pragmática”, utilizada sobretudo para facilitar e automatizar processos em soluções client-centric, desenvolver e/ou implementar novas metodologias e soluções e na construção de parcerias que permitam acrescentar valor ao produto.

Rita Inácio