Reportagem: Madeira – Um destino imperdível durante todo o ano

Reportagem: Madeira – Um destino imperdível durante todo o ano

Se ainda não visitou o arquipélago da Madeira mas está na sua lista de destinos a não perder saiba que há sempre um motivo para viajar para este arquipélago que, este ano, comemora os 600 anos da sua descoberta. O convite faz pois todo o sentido: “Este é o ano para ir à Madeira”! Mas não se preocupe se até dezembro não conseguir planear esta viagem pois, ao longo dos outros meses, nunca faltarão razões para conhecer ou revisitar o arquipélago português.

Situado a aproximadamente 1000 Km do continente europeu, e a apenas 500 Km do continente africano, é neste arquipélago que encontrará a ilha da Madeira, a ilha do Porto Santo e, ainda, as Desertas e as Selvagens (reservas naturais). Opções não faltam, portanto.

As paisagens de florestas densas e verdes, montanhas vulcânicas e jardins com flores de cores exuberantes contrastam com o azul do Oceano Atlântico e são um convite a acompanhar as levadas pelas montanhas, os trilhos da floresta Laurissilva com cascatas de água pelo caminho, a passear de barco ou a um mergulho no mar. E o clima ameno ao longo dos 12 meses do ano só torna estas sugestões ainda mais apetecíveis.

A juntar ao cenário natural, a gastronomia cheia de propostas tentadoras como a famosa espetada, o milho frito, o peixe-espada, o bolo do caco, a poncha e o vinho da Madeira, são certamente referências imperdíveis. E o Funchal, capital do arquipélago, permite-lhe experimentar restaurantes e bares que não vão passar despercebidos. Em forma de anfiteatro, esta cidade cosmopolita é o maior centro turístico da ilha e garante animação noturna para quem gosta de aproveitar os seus dias até ao fim.

Explorar o Funchal em cinco passos
Comecemos pois por apresentar-lhe o Funchal e tudo o que não pode deixar de visitar na sua próxima viagem. E desde logo o Mercado dos Lavradores, aberto todos os dias a partir das sete da manhã (exceto domingos e feriados), situado na zona velha da cidade, transporta-o numa viagem pelos sons, cores e sabores das iguarias regionais. Aqui encontrará desde frutas a legumes, flores, peixe, carne, ervas aromáticas, artesanato, vinhos ou frutos secos. E, claro, as típicas queijadas madeirenses e as famosas sandes de carne vinho e alhos.

Funchal.

Também na zona velha, desde 2011 que a “Arte Portas Abertas” veio rejuvenescer este espaço histórico da cidade, com arte retratada nas portas da Rua de Santa Maria. Os cafés, restaurantes e bares animam esta parte do Funchal que atrai muitos visitantes e locais em busca de arte, experiências gastronómicas e animação noturna.

A partir da zona velha, pode embarcar no Teleférico que lhe proporcionará das melhores vistas aéreas sobre o Funchal, as suas casas e ribeiras. São cerca de 20 minutos de viagem até ao Monte.

No Monte, se procura tranquilidade, o Jardim Tropical Monte Palace é o local ideal. Com cerca de 70 mil m2 e uma vegetação luxuriante, estão aqui representadas espécies dos quatro cantos do mundo, e tem uma área exclusivamente dedicada à Floresta Laurissilva. Os Jardins Orientais são outro argumento de visita com os seus pagodes, esculturas budistas, pontes vermelhas e lagoas, onde nadam peixes Koi e cisnes. E, já que está no Monte, não deixe de se aventurar numa viagem nos famosos Carros de Cesto da Madeira,

algo que não encontrará em nenhuma outra parte do mundo. São cerca de dois km por entre ruas íngremes e pitorescas, “a bordo” de carros feitos de madeira e vimes, conduzidos pelos carreiros com as suas Botas de Vilão com solas de borracha e com ajuda de cordas.

Por fim, deixamos-lhe uma outra sugestão: o Museu CR7. Esta é, atualmente, uma das atrações mais visitadas no Funchal e não é preciso explicar porquê. Situado no centro da cidade, junto ao Hotel Pestana CR7, este é o espaço indicado para conhecer melhor todos os pormenores da vida do famoso futebolista madeirense Cristiano Ronaldo. Logo à entrada, a sua estátua, obra de Ricardo Velosa, é palco de muitas fotografias e sorrisos.

Animação todos os meses
Não será exagero afirmar que, na Madeira, quase todos os meses são motivo de festa. E o ano começa em beleza com o mês de dezembro/janeiro, ao toque das 12 badaladas, com o espetacular fogo-de-artifício na Baía do Funchal. São milhares de pessoas vestidas a rigor que, em terra ou no mar, assistem a este espetáculo de pirotecnia que dura cerca de 10 minutos.

Mas a animação não pára e, em fevereiro, o Carnaval chega à ilha (19 de fevereiro a 1 de março 2020). A baixa da capital enche-se de música e espetáculos na Avenida Arriaga, que culminam com o Grande Cortejo Alegórico na noite de 22, e com o Cortejo Trapalhão na tarde de terça-feira de Carnaval, dia 25, na Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses. Poucos outros locais no mundo celebram esta época como a Madeira, que se inspira nas tradições regionais, nos bailes temáticos e até no samba do Rio de Janeiro.

Os meses de abril e maio dão as boas-vindas à célebre Festa da Flor (30 de abril a 24 de maio 2020). Ao longo de três semanas, as flores naturais, regionais e exóticas são rainhas. E são vários os workshops e exposições que animam o Funchal, bem como concertos musicais e tapetes florais. O Grande Cortejo Alegórico da Flor tem lugar no dia 3 de maio, com centenas de crianças vestidas com trajes decorados com flores a desfilarem na Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses.

Nos dias 6, 13, 20 e 27 de junho 2020, o fogo-de-artifício regressa ao cais do Funchal, desta vez acompanhado por vários temas musicais. É o Festival do Atlântico, um evento anual que inunda os céus da ilha com cor e luminosidade, em sincronia com a transmissão de temas musicais.

Já os meses de agosto e setembro são motivo para uma visita para prestar homenagem ao tradicional Vinho Madeira na Festa do Vinho. O evento decorre de 25 de agosto a 8 de setembro, nos vários concelhos da ilha, e permite assistir à vindima ao vivo e à apanha das uvas, no dia 7, nos arredores da Igreja do Estreito de Câmara dos Lobos. O Mercado do Vinho (Madeira Wine Lounge) acontece na Praça do Povo, no Funchal, com excelentes vinhos madeirenses e várias delícias gastronómicas, com a presença de chefs locais e internacionais.

Outubro é o mês do Festival da Natureza. De 1 a 6, esta é a festa indicada para os amantes da natureza, das caminhadas nas levadas e dos desportos radicais, como o canyoning ou o BTT.

Chegamos assim a dezembro, altura em que o Natal invade as ruas do Funchal e de toda a ilha (ver caixa ” Um Natal especial na Madeira…”).

Um Natal especial na Madeira…
O Natal é uma época especial em muitos lugares mas, na Madeira, tem um encanto especial. No dia 1 de dezembro milhares de luzes iluminam as ruas, edifícios, jardins, vales e montanhas da ilha. Além das idas: às Missas do Parto, uma tradição bem madeirense, a tradição manda que as famílias construam um presépio ou uma “lapinha” madeirense onde o menino Jesus se encontra no topo de umas escadas decoradas com frutas e outros objetos. Na Avenida Arriaga, no Funchal, e um pouco por toda a ilha, poderá deparar-se com inúmeros presépios que ilustram não só esta devoção como também a criatividade dos madeirenses.

Mas o Natal é também gastronomia e, na Madeira, a saborosa carne vinho e alhos, as picantes cebolas de escabeche, os bolos de mel ou os doces licores caseiros como o “tintantum” tornam esta época do ano uma verdadeira tentação.

No Jardim Municipal do Funchal, a Aldeia de Natal diverte crianças e adultos e, na placa central da Avenida Arriaga, não faltam concertos com bandas filarmónicas, grupos folclóricos e coros infantis. Não deixe também de visitar os mercados de Natal, não só pela beleza das flores que oferecem como pelo ambiente que ali se vive. A famosa Noite do Mercado tem lugar a 23 de dezembro, no Mercado dos Lavradores para o qual, ao cair da noite, com as ruas circundantes fechadas ao trânsito, se dirigem milhares de pessoas para ultimar os seus preparativos de Natal, como comprar pinheiros, flores para enfeitar as casas e aproveitar para se divertirem. A festa dura até de madrugada.

A não perder no Funchal
1. Mercado dos Lavradores
2.Jardim Tropical Monte Palace
3. Teleférico Funchal – Monte
4. “Arte Portas Abertas” – Zona Velha do Funchal
5. Museu CR7

 

Porto Santo: um cenário idílico
A apenas 50 km da Madeira, o Porto Santo é a mais pequena ilha habitada do arquipélago, com 42 Km2, apenas 11 Km de comprimento e seis km de largura. Mas, dizem os conhecedores, suficiente para umas grandes férias. O cartão-de-visita desta ilha é o seu extenso e magnífico areal dourado que percorre praticamente toda a costa sul do Porto Santo. Famosas são as qualidades terapêuticas reconhecidas das suas areias e água do mar. O clima seco e estável, com pouca variação térmica, é perfeito para fazer praia durante todo o ano.

Inês Gromicho, publicado na edição 324 da Ambitur/ Fotos André Carvalho, cedida pela Associação Promoção Madeira