Saiba que água está a beber…

Categoria Home

Já alguma vez pensou em participar numa Prova de Águas? A Empresa Portuguesa das Águas Livres (EPAL) lançou, há cerca de um ano, o repto à comunidade lisboeta. E a Ambitur decidiu partir para este desafio, apurando os sentidos e, sem perfume, café ou cigarro, vestiu a bata branca. Apesar de, à primeira vista, parecer uma tarefa fácil, saiba que é uma degustação bem mais complexa do que a típica prova de vinhos. Certamente já abriu a torneira da água e esta saiu branca. Há ocasiões em que cheira a cloro, outras em que apresenta uma cor amarelada e, uma ou outra vez, já aconteceu ouvirem-se ruídos na canalização e a água sair aos &jorros&. No Curso de Prova de Águas da EPAL, cujo objectivo é apurar a sensibilidade para o cheiro e para o sabor da água,estas são algumas das curiosidades que são esclarecidas. A primeira lição é que, na maioria das vezes, em nenhuma das situações acima citadas a água se encontra imprópria para consumo. Nem sempre o facto de detectar cheiro ou sabor na água significa que esta seja problemática para a saúde. Mas comecemos pelo início. Na primeira parte do curso, voltamos aos tempos da escola, em que nos sentamos nas carteiras dispostas em &u& e, no meio, o professor,que neste caso é um aquólogo da EPAL, nos explica a teoria, numa aula que dura cerca de uma hora e meia. Aprovados nos módulos &O sistema de abastecimento da EPAL&, &Características físico químicas da água& e &Parâmetros cheiro e sabor em água para consumo humano&, partimos para a fase mais esperada:o exercício prático em laboratório. Os cheiros e os sabores a cloro, mofo, terra, fénico, salgado, doce, ácido, amargo e metálico são testados de modo a que, depois de terminado o curso, todos saibamos reconhecer as características da água da torneira da EPAL.Por Raquel Pedrosa LoureiroNota: O trabalho pode ser lido na íntegra na edição 272 da Revista Ambitur (Julho/Agosto)