Santa Maria da Feira: Espaços museológicos que convidam a experienciar

Santa Maria da Feira: Espaços museológicos que convidam a experienciar

Visitar Santa Maria da Feira é entrar num verdadeiro “Palco de Experiências” onde cada visitante é convidado a viver em pleno o espírito dos eventos e a regressar sempre que a cultura acontece.

Museu do Papel

Comecemos pelo Museu do Papel Terras de Santa Maria, premiado como Melhor Museu Português de 2011 pela APOM. Instalado em duas antigas fábricas de papel do início do século XIX, este museu industrial dedica-se à história do fabrico de papel. No espaço oitocentista do Engenho da Lourença poderá conhecer a fase manufatureira de produção “folha a folha” enquanto na Casa da Máquina ficará a par da produção de papel em contínuo. O núcleo expositivo “Da Floresta ao Papel” dá-lhe acesso à mais recente história da indústria do papel em Portugal. Não perca a coleção de marcas de água e o acervo de peças oriundas de diferentes fábricas de papel de todo o país.

Já o Museu Convento dos Lóios, no centro histórico da cidade, é dedicado à história do concelho e da região. Numa visita ao passado, a exposição permanente proporciona uma viagem às origens do povoamento, à Terra de Santa Maria e ao seu Castelo, assinada por objetos do quotidiano, da vida de trabalho do Homem, da sua religiosidade, como é o caso da Festa das Fogaceiras como ícone dessa espiritualidade ancestral. Também o município está aqui representado através dos símbolos que o identificam. De destacar o espólio doado pelo Mestre António Joaquim, ilustre artista feirense, com uma assinalável coleção de obras da sua autoria, que se encontram patentes na Sala António Joaquim.

Museu Santa Maria de Lamas

Por fim, visite o Museu de Santa Maria de Lamas, também conhecido como “Museu da Cortiça”, centrado na figura do colecionador Henrique Amorim. Este espaço conta com um verdadeiro acervo singular, recuperado e reorganizado a partir de 2004, com coleções de Arte Sacra, Etnografia, Mobiliário Civil, Tapeçaria e Azulejaria, Estatuária em Cortiça e Arqueologia Industrial, e muito mais. Tem ainda no seu serviço educativo um ponto alto, proporcionando ao visitante uma sensibilização para a própria arte, sua diversidade tipológica e temática, património cultural e sua conservação.

Este artigo foi publicado na edição 317 da Ambitur.