Skycop: “Viajar de avião continua a ser melhor opção”

Skycop: “Viajar de avião continua a ser melhor opção”

A Skycop acaba de divulgar em comunicado quatro boas razões para “eleger o avião como o melhor meio de transporte”. Segundo a plataforma que defende os passageiros aéreos e os seus direitos, para um número considerável de pessoas, continua a ser difícil voar pelas mais variadas razões. Talvez seja o “medo de cair ou talvez não gostem da ideia de estar a uma altitude considerável numa ´lata de titânio pressurizada”. No entanto, “voar é realmente muito mais seguro do que viajar de carro”, sustenta a Skycop.

Voar é super seguro

Há apenas uma em 9.821 de hipóteses de morrer num acidente de avião. Se tivermos em conta que num acidente de viação um em 114 automobilistas tem hipóteses de morrer e que um em 654 passageiros de automóvel também está sujeito a essa mesma ode, as evidências tornam-se claras. Isto acontece devido às centenas de regulamentações existentes para tornar as viagens aéreas seguras. Por exemplo, é exigido ao comandante do avião ter 250 horas de voo, além das 1.500 horas necessárias para a obtenção do certificado de piloto de transporte aéreo. É também exigido um limite mínimo de quarenta horas de voo instrumental (ou seja, voar em condições de baixa visibilidade através de informação fornecida por instrumentos) em altitude e em simulador.

Além disso, os aviões são meticulosamente verificados em MRO (Manutenção, Reparação e Operação), com um controlo de qualidade apertado, periódico e uma manutenção rigorosa. Há dezenas de burocracias envolvidas para a substituição de partes do avião, implicando uma desmontagem quase total do mesmo.

A forma mais rápida de viajar

À primeira vista, voar pode não parecer assim tão rápido. É necessário chegar ao aeroporto, pelo menos, uma hora antes do voo. Tem que se passar por vários pontos de verificação. Há um tempo de espera forçado para que o avião chegue até à porta de embarque – e nem sempre é à hora. No entanto, ainda é mais rápido do que fazer a mesma viagem de barco ou de carro, especialmente para destinos mais distantes. Não existe uma forma mais rápida de viajar da Europa para o Japão do que de avião – essas doze horas não podem ser superadas por outro meio de transporte. Para distâncias mais curtas, um comboio de alta velocidade pode apresentar-se como uma alternativa rápida porém nem todas as cidades dispõem deste tipo de transporte.

Aviões são confortáveis

O conforto a bordo de um avião é sempre uma questão que irá depender da exigência do passageiro. É verdade que as companhias aéreas regionais e as companhias low-cost não são as mais confortáveis para se viajar, mas garantem a chegada ao destino a um preço mais reduzido. Numa companhia aérea para voos dométicos, o nível de conforto pode atingir um nível considerável, é possível usufruir de um sistema de áudio e vídeo personalizável, comer, beber, e ter à sua disposição almofadas e mantas. Para realizar essa mesma viagem de carro ou comboio, dificilmente terá o mesmo conforto. Leva-se mais horas para percorrer a mesma distância.

Ser social num avião

Sabe-se que uma das primeiras instruções após o embarque é desligar os dispositivos móveis. E se o Wi-Fi é tão importante nos dias de hoje, sem dados móveis desconectamo-nos da rotina. Facebook, Twitter, Instagram e outras plataformas digitais são postas de lado por algumas horas. Desta forma, o passageiro pode relacionar-se com as pessoas ao seu redor. A partilha da dificuldade/felicidade de voar pode tornar-se um ponto de socialização. Iniciar uma conversa sobre os preços absurdos da comida a borda, ou um episódio caricato decorrido no aeroporto tornam-se boas hipóteses de socializar.