StayOver Fátima-Tomar esbate as “barreiras geográficas” e “as fronteiras dos municípios”

StayOver Fátima-Tomar esbate as “barreiras geográficas” e “as fronteiras dos municípios”

Categoria Advisor, Associativismo

A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) apresentou à imprensa, esta terça-feira, as novas propostas da campanha “StayOver Fátima-Tomar”, uma iniciativa intermunicipal que convida a visita à região do Médio Tejo e à descoberta dos “encantos e do património milenar monumental”.

Envolvendo os 13 municípios da CIMT (Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha), a iniciativa pretende “proporcionar experiências únicas” nestes concelhos, assegura Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal (TCP).

O dirigente mostra “satisfação” pelo facto do Turismo do Centro se associar a este projeto, classificando-o de um “triângulo virtuoso” que envolve “os municípios, a TCP e as várias empresas e empresários que estão envolvidos num “trabalho em rede” e que “tornou possível este produto. Um triângulo virtuoso que assenta que nem uma luva”, frisa Pedro Machado, referindo que o projeto “esbate as barreiras geográficas” e “as fronteiras dos municípios. É um  projeto que liga territórios, comunidades, municípios, produtos, empresas e pessoas”, sustenta.

Pedro Machado é perentório a listar os vários objetivos da iniciativa, desde logo, a necessidade de “reestruturar e criar um produto turístico que alimente a sustentabilidade da nossa atividade turística”, ao mesmo tempo que torna os dinamizadores “mais competentes na comunicação e na promoção dos territórios e das marcas”, pontuando “com outras ofertas turísticas que a Região Centro e o país já têm”. Outro dos objetivos é a produção de “mais competitividade para as empresas e para os empresários”, criando uma “rede virtuosa” que aumenta “a capacidade de promover e comunicar os nossos produtos”, ao mesmo tempo que “as empresas e empresários tiram frutos destes projetos”.

Além destes objetivos, o responsável considera que o projeto vai “aumentar a permanência e o número de visitantes”. No entanto, “queremos que a restauração, a hotelaria, os serviços e o comércio possam beneficiar de uma estratégia de investimento público”, refere o presidente do TCP, sem deixar de sublinhar  “a capacidade destas comunidades para gerar valor para que as empresas e os territórios beneficiem da atividade turística”.

A campanha “StayOver Fátima-Tomar” é promovida pela CIMT e insere-se no Plano de Ação para os Produtos Turísticos Integrados de Base Intermunicipal, cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia.

Cristiana Macedo