TAP homenageia agentes de viagens nos TOP TAP 2015

Categoria Business, Transportes

A TAP promoveu ontem à noite em Lisboa os TOP TAP, a cerimónia anual de homenagem aos Agentes de Viagens, que decorreu no convento do Beato e contou com dezenas de convidados representantes do sector de Viagens e Turismo de Portugal e do Brasil.

Durante o jantar, presidido por Fernando Pinto, foi feita a entrega dos prémios TOP TAP 2015 aos Agentes de Viagens que mais se distinguiram no ano passado pelo volume de vendas efetuado, sublinhando-se assim o reconhecimento da companhia aérea portuguesa pela importância da contribuição dos seus parceiros privilegiados de negócio para o desenvolvimento da sua atividade e dinamização da indústria de viagens e turismo em Portugal.

Estiveram presentes, entre outros convidados, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, o Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, o Presidente da Confederação de Turismo de Portugal, Francisco Calheiros, o Presidente da Associação dos Hotéis de Portugal, Raúl Martins e os Presidentes da APAVT, Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo e da ABAV, a Associação Brasileira de Agências de Viagens, respetivamente, Pedro Costa Ferreira e Edmar Bull, além dos representantes das Agências de Viagens e das equipas de Vendas da companhia no mercado nacional e no Brasil. Presente esteve também David Neeleman, acionista da TAP, bem como vários elementos da equipa de gestão da companhia aérea portuguesa.

Foram vencedores dos prémios TOP TAP 2015 em Portugal as Agências: Springwater Tourism (1º lugar); Abreu (2º); Geostar (3º); Travel Store (4º) e Corte Inglês (5º). Foram também premiados, pela primeira vez, os cinco maiores parceiros da companhia no Brasil, sendo igualmente distinguidos com os TOP TAP a Advance / Rextur; CVC; Decolar; Esferatur e a Flytour, numa demonstração clara da crescente importância do mercado brasileiro para o total das vendas do produto TAP.

Atualmente, cerca de 50 por cento do volume de vendas total da TAP é realizado em Portugal e no Brasil, cabendo a cada um dos mercados uma parcela igual de 25 por cento, e distribuindo-se os outros 50 por cento das vendas pelos vários mercados servidos pela companhia, com maior concentração na Europa.