Tivoli aposta na “flexibilização dos work spaces e dos executive lounges” dos seus hotéis

Tivoli aposta na “flexibilização dos work spaces e dos executive lounges” dos seus hotéis

A pandemia colocou várias restrições às viagens e eventos. Nos dias de hoje pouco se viaja por lazer ou negócios. Mas pode o teletrabalho oferecer novas vias de negócio para os hotéis? Começam a surgir quartos transformados em escritórios e diferentes ofertas para o segmento corporate. Será esta uma real aposta para o futuro da hotelaria? E quais as mais-valias de trabalhar a partir de um hotel? A Ambitur.pt entrevistou um conjunto de grandes cadeias hoteleiras e pequenas unidades para perceber melhor este recente “fenómeno”.

O segmento corporate “sempre foi uma aposta” do Grupo Tivoli Hotels & Resorts, especialmente para os hotéis urbanos, como explica Jorge Lopes, head of Resorts & Luxury Sales para o Sul da Europa da Minor Hotels. Mas o certo é que o teletrabalho veio trazer uma “mobilidade física que permite trabalhar a partir de qualquer localização geográfica”, o que pode constituir uma “oportunidade para o setor” da hotelaria. Desta forma, também “as viagens ficam menos condicionadas aos períodos de férias” permitindo que os hóspedes possam reservar mais estadias “ao longo do ano” e com “maior flexibilidade”.

Flexibilização dos work spaces e dos executive lounges

Tivoli Avenida Liberdade Executive Lounge

Para Jorge Lopes, neste período conturbado “é determinante apostar na flexibilidade” no que respeita “às políticas de cancelamento” assim como às “tarifas adaptadas às necessidades das empresas”. Ciente disso, o Grupo Tivoli tem em vigor um Pograma Especial para Empresas, através de uma plataforma dedicada a reservas online, que garante “benefícios especiais” como uma oferta até 30% no alojamento, acesso privilegiado aos restaurantes e bares das unidades com 10% de desconto e wifi gratuito.

O responsável comenta ainda que: “Muitas empresas do setor, especialmente lá fora, têm lançados várias ofertas dentro do modelo de quartos adaptados a escritórios.” No entanto, informa que o Grupo Tivoli optou por dar “preferência a um outro modelo que consideramos mais atrativo e completo” e que consiste na “melhoria da oferta de serviços” e na “flexibilização dos work spaces e dos executive lounges já existentes”. Tais espaços asseguram aos clientes “áreas de trabalho com toda a segurança” e “comodidades especiais como a conetividade, o apoio de secretariado e a cortesia do serviço de cafetaria”, atenta.

Tivoli Homestays para uma experiência residencial urbana ou de resort

O Grupo acabou, ainda, de lançar o programa “Tivoli Homestays” que proporciona uma experiência residencial urbana no Tivoli Avenida Liberdade, em Lisboa, ou uma experiência residencial de resort no Tivoli Marina Vilamoura, no Algarve. O head of Resorts & Luxury Sales avança que o programa destina-se, sobretudo, a “todos aqueles que querem usufruir de uma estadia prolongada, sentindo-se como se estivessem na sua própria casa”.

Eis as duas ofertas:

– No Tivoli Avenida Liberdade, uma estadia de 15 noites com possibilidade de upgrade, pequeno-almoço servido no quarto, serviço de abertura e fecho de mala, dois tratamentos de assinatura por pessoa no Anantara Spa e ainda um crédito de 250€ por pessoa para utilizar nos serviços do hotel, incluindo restaurantes, bares, spa e lavandaria. Tem um preço por noite de 200€ para um quarto individual e de 250€ para um quarto duplo;

Tivoli Marina Vilamoura

– No Tivoli Marina Vilamoura, uma estadia de 15 noites, com upgrade para quarto com vista mar, dois tratamentos de assinatura Tivoli Spa por pessoa, oferta de transfer do aeroporto à chegada e ainda um crédito de 500€ por pessoa para utilizar nos serviços do hotel, incluindo restaurantes, bares, spa e lavandaria. Tem um preço por noite de 150€ para um quarto individual e de 200€ para um quarto duplo.

No Algarve, os clientes têm ainda oportunidade de usufruir de várias atividades, com custo extra, como “o acesso privado a cuidados médicos, atividades náuticas na Marina de Vilamoura, acesso aos campos de golfe locais, sessões de birdwatching e visitas especiais para descobrir a gastronomia e enoturismo local.

Fuga à rotina habitual de trabalho e a possibilidade de descobrir um novo destino

Jorge Lopes confia que a grande mais-valia de trabalhar a partir de um hotel “é sem dúvida a comodidade” que resulta da “diversidade de oferta que encontramos dentro dos nossos hotéis”, com flexibilidade de horários e várias opções de restauração, serviço de quartos, ginásio e Spa. “Tudo centralizado no mesmo espaço” o que “evita várias deslocações ao exterior”, argumenta. Por fim, permite “fugir à rotina habitual de trabalho” e “descobrir um novo destino” numa “combinação entre trabalho e lazer”.

Rita Inácio