Turismo Centro de Portugal diz que “chegou o tempo dos Caminhos da Fé e da Espiritualidade”

Turismo Centro de Portugal diz que “chegou o tempo dos Caminhos da Fé e da Espiritualidade”

Categoria Advisor, Associativismo

O Turismo Centro de Portugal apresentou, na passada sexta-feira, a sua nova estratégia de promoção dos Caminhos da Fé e Espiritualidade. Para a região de turismo, “chegou o tempo” de os explorar e percorrer. 

Em conferência de imprensa a partir das Luz Charming Houses em Fátima, e em direto online, a entidade regional de turismo apresentou novos materiais promocionais, como mapas e roteiros, que indicam aos turistas e peregrinos os locais a visitar no Centro de Portugal e que contam já com as recomendações da DGS. Foi também apresentado o Guia do Turismo Espiritual e Religioso, inserido no Expresso, e destacada a estratégia transfronteiriça comum de promoção deste segmento entre regiões de Portugal e Espanha. Além do Culto Mariano, cujo expoente máximo é Fátima, outros locais de culto e peregrinação têm ganho destaque, nomeadamente os Caminhos de Fátima, o Caminho de Santiago, a Rota Carmelita ou a Herança Judaica.

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal (TCP), salientou que, na sequência da campanha promocional da região que o Turismo Centro de Portugal tem em curso, “chegou o tempo dos Caminhos da Fé e dos Caminhos da Espiritualidade”. “Entendemos que este é o tempo de apelarmos a esta dimensão da fruição turística associada à sua dimensão espiritual e à sua dimensão religiosa”, disse. O responsável acredita que a estratégia “vem ao encontro deste trabalho de aproximação ao mercado interno” e desafia os portugueses a conhecerem os destinos agora apresentados: “Desafio os portugueses que não tinham pensado em realizar uma experiência de natureza espiritual ou religiosa a poderem fazê-lo, com pouco custo do ponto de vista material mas cheio de significado do ponto de vista da dimensão espiritual e da dimensão ética.”

O presidente do TCP adiantou que “a estruturação e a construção dos caminhos e circuitos têm tido, da parte do Governo e dos fundos comunitários, programas específicos de apoio mas não tem havido, na consequência, programas que ajudem a manter e a preservar”, pelo que deixa o apelo para que “na estratégia 2030 e nos programas operacionais, os municípios e os cuidadores dos caminhos tenham um financiamento específico para poderem criar condições de os manter e divulgar. É muito importante para esta perceção da segurança”. 

Por sua vez, Teresa Ferreira, diretora do Departamento de Desenvolvimento de Recursos do Turismo de Portugal, realçou que “os Caminhos da Fé, desmultiplicados nos Caminhos de Fátima, Caminhos de Santiago e a Herança Judaica, são estruturantes para o desenvolvimento turístico do país, porque é um produto que assenta em ativos que nos diferenciam, tanto no património material como do património imaterial e natural, tem uma escala nacional e é uma proposta de experiência turística que pode ser usufruída durante todo o ano, permitindo descobrir muitos percursos e recantos deste país”. Além disso, “também é particularmente importante porque está alinhado com aquilo que vão ser as tendências dos turistas, que após este período de pandemia vão procurar experiências de valorização pessoal, experiências seguras e que sejam alternativas a destinos mais massificados”.

O presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Albuquerque, comentou: “É com enorme satisfação que verifico que o Turismo do Centro considera o turismo religioso como pilar fundamental para os próximos anos na nossa região, reconhecendo que Fátima é um produto turístico estratégico nacional.”

Desta feita, o autarca admite que Fátima “tem uma capacidade hoteleira muito grande e com muita qualidade mas continuamos a ter um tempo de permanência muito curto” e que, por isso, “temos vindo a divulgar outros produtos perto de Fátima não tão conhecidos”. Já a 20 de junho a cidade inaugura a Rota dos Pastorinhos, “composta por 10 painéis interpretativos que retratam a vida dos pastorinhos e por onde passaram no concelho”, descreve. Luís Albuquerque adiciona, ainda, que Fátima está “envolvida com mais seis cidades-santuários da Europa na constituição de uma Associação de Santuários Marianos” que proporciona a oportunidade de “aceder a fundos comunitários através das rotas culturais da Europa”.

Os mapas e materiais hoje apresentados podem ser consultados em https://turismodocentro.pt/publicacoes.