Turismo de Macau promove cinema macaense no IndieLisboa

Turismo de Macau promove cinema macaense no IndieLisboa

Através do cinema, a região de Macau irá ter uma presença destacada na 14ª edição do Festival Internacional de Cinema Independente de Lisboa – IndieLisboa, que se prolonga até ao próximo domingo, dia 14 de maio.

Ao todo, serão exibidos cinco filmes, com destaque para a exibição, hoje à tarde, pelas 16h15, no Cinema São Jorge, da longa-metragem “Sisterhood”, que contará com a presença da realizadora Tracy Choi.

Para além deste filme, foram exibidas, na passada sexta-feira, dia 5 de maio, quatro curta-metragens: “Cake”, de Tou Kin Hong, (2011); “The Roar of a Mother Bear”, de Doug Kin-Tak Chan, (2015); “Crash”, de Hong Heng Fai, (2016); e “O Cravo”, de António Faria, realizado em 2017.

Carlos Ramos, um dos diretores do festival, em declarações à ambitur.pt referiu que esta parceria surgiu devido “à ligação intrínseca” de Portugal com Macau. Além disso, o responsável destaca ainda “o investimento que tem sido feito em Macau na produção cinematográfica”, onde no ano passado, se organizou uma mostra de cinema. “Queríamos mostrar um olhar sobre o que está a acontecer por lá”, refere, salientado a escolha dos filmes “que têm sempre em conta, o lado estético de Macau”.

Esta é a primeira vez que o Turismo de Macau se associa a um evento cinematográfico como o Indie Lisboa. Rodolfo Faustino, coordenador do Turismo de Macau em Portugal, em declarações à ambitur.pt, explica que esta é uma oportunidade para “a promoção de Macau, que necessita de encontrar momentos diferenciadores como este para que tenha sucesso”. A juntar a essa dimensão, o representante da entidade ressalvou também a importância do cinema macaense, que está, em certos aspetos a dar os seus “primeiros passo”.

“Em termos de cinema e de produtores, Macau está a dar os seus primeiros passos. No ano passado tivemos o primeiro festival internacional de cinema em Macau, que é para continuar. É um setor que é fundamental apoiarmo-nos para promoção. Nada melhor em Portugal, do que estar ligado a um festival desta envergadura, com esta dinâmica e com este historial”, sublinha.

Quanto ao destino em si, Rodolfo Faustino considera que é necessário atrair as novas gerações até Macau. “Macau já não está no panorama português, mas temos uma ligação muito forte e portanto, há que chegar a esta camada jovem”, ressalva.

“Macau está em constante crescimento e recebemos mais de 30 milhões de visitantes, anualmente. Agora, precisamos também de componentes novas e deste novo ar fresco que é a juventude”, termina.

Para esta edição, o Turismo de Macau, em Portugal patrocina três prémios da Competição Internacional de Curtas Metragens do IndieLisboa, distinguindo a Melhor Animação, Melhor Ficção e Melhor Documentário.