Vinho de Carcavelos: O sabor da história nos tempos de hoje

Vinho de Carcavelos: O sabor da história nos tempos de hoje

Naquela que será a mais pequena Região Demarcada do mundo, o vinho de Carcavelos Villa Oeiras tem vindo a chegar além-fronteiras, fruto de um esforço do município.

Esta é provavelmente a mais pequena Região Demarcada do mundo, e foi uma das primeiras, com 25 hectares de vinhas, das quais apenas 12,5 se encontram em produção para a marca Villa Oeiras. Mas esta realidade não lhe tira o valor e a importância que o peso da história lhe confere. As reminiscências histórias do vinho de Carcavelos, na época conhecido como vinho de Oeiras ou vinho de Lisboa, remontam ao irlandês Sir Paul George, mas o mesmo ganhou maior expressão na época do Conde de Oeiras, que mais facilmente conhecemos pelo título de Marquês de Pombal. Na altura já lhe era reconhecida a qualidade e era produzido numa adega junto ao Palácio para melhorar a qualidade do vinho do Porto.
Com o exílio do Marquês, foram as Invasões Francesas que mantiveram o Vinho de Carcavelos na berlinda. Impedidos de aceder ao vinho do Porto, os aliados ingleses viraram-se para o Carcavelos e para o Madeira, sendo certo que ainda nos dias de hoje estes vinhos serão facilmente reconhecidos neste país.
Depois de um longo período de extinção, o Vinho de Carcavelos renasce no início dos anos 80 e, poucos anos mais tarde, o município de Oeiras uniu esforços com o Ministério da Agricultura com o objetivo de fazer do Carcavelos uma verdadeira fénix. Hoje já atinge uma produção de 50.000 garrafas por ano e espera vir sempre a crescer, aliando a história ao fator modernidade, com a introdução de técnicas e tecnologias mais precisas. A internacionalização tem vindo a ser uma aposta ganha e, este ano, a autarquia está a consolidar este processo, com a entrada no mercado brasileiro com o importador “Adega Alentejana”, no Estado de São Paulo, que vende para todo o país.
B.I.
Solo: Mediterrâneo vermelho-calcário
Clima: Microclima caraterizado por invernos com temperaturas médias de 11,6⁰C e verões com temperaturas médias de 23,2⁰C. A precipitação anual média é de 850mm, apresentando verões secos com menos de 5,2 mm.
Castas: Galego Dourado, Ratinho e Arinto (castas Brancas)
Vinificação: Recurso maioritário à tecnologia clássica de vinificação em vinho branco – bica aberta; Fermentação com adição de aguardente vínica a 77% (da Região da Lourinhã – Portugal) a meio do processo fermentativo.
Envelhecimento: Em barricas de carvalho Português e Francês (das regiões de Allier e Limousin) durante um período médio de 10 anos. Após o engarrafamento cumpre um estágio adicional mínimo de 6 meses em garrafa antes de entrar no mercado.
No mercado: Vinho Branco de Carcavelos Villa Oeiras Blend com média de 10 anos de estágio em madeira de carvalho.